Fotografia:
O meu presépio vivo

Imagino que este presépio vivo deve ser como os outros presépios vivos. Mas este não o conheço. Não o visitei ainda. Não sei onde é o sítio em que está armado. Também não ouvi ainda o sussurrar da água dos seus regatos. Sei que não tem vaquinha nem burrinho; e que também não tem ovelhinhas.

Bernardino Costa
21 Dez 2012

Mas sei que neste presépio o Menino Jesus é mesmo a sério, sorri mesmo. E que o anjo sobre a Sua caminha também é verdadeiro e canta a sério. Sei também que este presépio tem estrelas cintilantes, que brilham mesmo e fazem lembrar aquelas forradas com pratas que enfeitam os presépios de barro. Neste presépio vivo há também uma estrela que brilha mais que as outras, como há dois mil anos. É uma luz de esperança, a indicar o caminho aos que a quiserem seguir.
O chão deste presépio é coberto com nuvens, em vez de musgo. É muito bonito; as nuvens são tão fofas que fazem lembrar os flocos de algodão que enfeitam os presépios de barro, a fingir de nuvens. Às vezes tem mesmo castelos… de nuvens; e água que corre, das nuvens para a Terra.
Ponho no meu presépio vivo pastores, o pescador, o leiteiro. Ponho ainda a mulher com a abóbora à cabeça e a lavadeira. Mas acrescento-lhe outras pessoas, umas muito importantes, outras pessoas mais simples e anónimas. E não me esqueço de pôr a adorar o Deus Menino ainda alguns pobres e doentes; e, para ser mais moderno, também alguns “sem abrigo”.
Este presépio está armado durante todo o ano, já há muitos anos. Cada um de nós conhece pessoas, figuras que fazem parte deste presépio vivo. Algumas são nossas amigas ou colegas; outras são mesmo da nossa família. Todas elas adoram este Menino Jesus no Céu.
 E Ele está muito contente com a sua presença, sabemo-lo. E cremos que as pessoas estão muito felizes também. Queremos acreditar nisso. É esta crença que nos envolve, que nos aconchega e aquece neste Natal, mais frio porque fisicamente sentimos mais a sua ausência.




Notícias relacionadas


Scroll Up