Fotografia: Avelino Lima/DM

Braga derrotada por Évora na corrida a Capital Europeia da Cultura

Évora vai ser a quarta Capital Europeia da Cultura portuguesa, sucedendo-se a Lisboa, em 1994, Porto, em 2001, e Guimarães, em 2012.

João Pedro Quesado
7 Dez 2022

Braga foi esta quarta-feira derrotada por Évora na candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027. O município alentejano ultrapassou também as candidaturas de Aveiro e Ponta Delgada e vai acompanhar a já selecionada Liepaja, na Letónia.

Évora vai receber uma dotação financeira de 29 milhões de euros oriundos de fundos nacionais e europeus, como foi revelado em outubro pelo ministro da Cultura.

As quatro cidades portuguesas finalistas propuseram, também em outubro, que os projetos dos três municípios que ficarem pelo caminho sejam aproveitados. Em resposta a esse apelo foi anunciada a criação da Capital Portuguesa da Cultura, que passará a vigorar em 2024. As três primeiras cidades serão, precisamente, Aveiro, Braga e Ponta Delgada.

Pedro Adão e Silva anunciou também que, em colaboração com os ministérios da Economia e da Coesão Territorial, o ministério da Cultura vai apoiar “com dois milhões de euros o programa da capital Portuguesa da Cultura”, o que se vai repetir por três anos.

“Em 2027 não teremos Capital Portuguesa da Cultura, porque haverá Capital Europeia da Cultura em Portugal, mas em 2028, com concurso aberto, haverá uma quinta cidade”, acrescentou o ministro.

Braga recebeu, na semana passada, o júri que tomou a decisão, numa visita técnica feita a cada uma das cidades em processo de seleção. Em Lisboa, esta semana, foram levadas a cabo as audiências finais com as delegações das quatro finalistas.

Em declarações ao Diário do Minho, o presidente da Câmara Municipal de Braga tinha-se mostrado esta terça-feira confiante na eleição mas, acima de tudo, feliz pelo sentimento de “dever cumprido”.

Ricardo Rio salientou ainda a “proposta de qualidade” apresentada por Braga, que resultou num “projeto ambicioso e mobilizador” da comunidade e dos agentes culturais.

A decisão foi tomada por um painel de jurados composto por 11 especialistas, designados por instituições europeias e pelo Ministério da Cultura português: Else Christensen-Redzepovic e Jorge Cerveira Pinto (Parlamento Europeu), Marilyn Gaughan Reddan, Goda Giedraityte e Rossella Tarantino (Conselho Europeu), Jelle Burggraaff, Beatriz Garcia e Hrvoje Laurenta (Comissão Europeia), Anne Karjalainen (Comité das Regiões), João Seixas e Suzana Faro (Ministério da Cultura português).

Évora vai ser a quarta Capital Europeia da Cultura portuguesa, sucedendo-se a Lisboa, em 1994, Porto, em 2001, e Guimarães, em 2012.





Notícias relacionadas


Scroll Up