twitter

Proteção da catenária da ponte Eiffel em Viana do Castelo avança em 2024

Proteção da catenária da ponte Eiffel em Viana do Castelo avança em 2024
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 25 de outubro de 2023, às 15:16

Não está estimado o valor a investir nesta intervenção.

A Infraestruturas de Portugal (IP) vai implementar em 2024 uma solução definitiva de proteção da catenária da ponte Eiffel, em Viana do Castelo, que mereceu parecer favorável condicionado da Direção Geral do Património Cultural (DGPC).

Em resposta, por escrito, a um pedido de esclarecimento da Lusa, a IP adiantou esta quarta-feira estar “a rever o pormenor de fixação dos painéis de acrílico” na ponte centenária, em fase de classificação como Monumento Nacional, “por forma a mitigar o impacto visual da solução a instalar, atendendo ao parecer da DGPC”.

A IP prevê “contratar a execução das novas vedações no decorrer do próximo ano, o que permitirá a remoção das redes provisórias e a reabertura da circulação pedonal do passeio do tabuleiro superior rodoviário da ponte Eiffel existente do lado da via-férrea”. Segundo a empresa pública, não está estimado o valor a investir nesta intervenção.

A necessidade de proteção da catenária da ponte Eiffel, com 145 anos, fica a dever-se à empreitada de modernização e eletrificação da Linha do Minho. A modernização da Linha do Minho, que representou um investimento total de 86 milhões de euros, foi cofinanciada com 68 milhões de fundos do programa Compete 2020. A eletrificação do troço Nine - Viana do Castelo, que ficou concluída em julho de 2019, custou 16 milhões, e a eletrificação do troço Viana do Castelo - Valença, concluída em 2021, custou 18 milhões de euros.

A resposta da IP à Lusa resultou da interpelação da vereadora da CDU, Cláudia Marinho, na última reunião da Câmara de Viana do Castelo, sobre a reparação do piso nos acessos à ponte metálica. Na altura, o presidente da Câmara da capital do Alto Minho disse já ter questionado a IP sobre aquele assunto, tendo obtido o compromisso de realização da empreitada em janeiro de 2024.

Esta quarta-feira, a IP anunciou que “ao longo dos próximos meses de inverno irá realizar as intervenções pontuais de reparação sempre que justifique, de modo a garantir as condições de circulação e segurança”. “Posteriormente, no período do ano com condições climatéricas mais favoráveis (primavera/verão) serão executadas as intervenções de conservação funcional de maior dimensão”, referiu ainda a IP.

A ponte Eiffel sobre o rio Lima, com 145 anos, entrou, em 2019, em processo de classificação como imóvel de interesse nacional. Tem 645 metros de comprimento, é composta por dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário.

Em 2020, a DGPC propôs a classificação a ponte metálica sobre o rio Lima como monumento nacional, fundamentando a proposta com um parecer favorável emitido pela secção do Património Arquitetónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura. O processo de classificação da ponte Eiffel foi iniciado em junho de 2019, por proposta da Câmara de Viana do Castelo, formalizada em 2018.

Inaugurada em 1878, a ponte metálica sobre o rio Lima foi desenhada pela casa Eiffel de Paris e substituiu a ponte em madeira que ligava o então terreiro de São Bento à margem esquerda do rio Lima, junto à capela de São Lourenço, na freguesia de Darque. A ligação entre as duas margens do rio Lima é ainda assegurada por uma outra travessia, localmente designada por ponte nova, de acesso à autoestrada 28 (A28), inaugurada em setembro de 1991, para aliviar o trânsito da centenária ponte Eiffel.