twitter

"A Universidade perde um dos seus membros ilustres". Reitor da UMinho expressa profundo pesar pela morte de Joana Marques Vidal

"A Universidade perde um dos seus membros ilustres". Reitor da UMinho expressa profundo pesar pela morte de Joana Marques Vidal
Fotografia

André Arantes

Publicado em 09 de julho de 2024, às 17:53

Joana Marques Vidal faleceu aos 68 anos, no Hospital de São João, no Porto, após ter estado várias semanas internada em coma.

O reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, manifestou esta terça-feira o profundo pesar pela morte da ex-procuradora-geral Joana Marques Vidal, aos 68 anos, no Hospital de São João, no Porto, após ter estado várias semanas internada em coma.

“A Universidade fica-lhe largamente devedora do trabalho que entre nós desenvolveu a partir do momento em que, como costumava dizer, passou “a ser da Universidade do Minho. A Universidade perde um dos seus membros ilustres. O País perde uma cidadã íntegra e interventiva, perde uma voz que, nos tempos difíceis que são os nossos, certamente nos fará muita falta.”, lê-se no comunicado.

O Comunicado:

Falecimento da Presidente do Conselho Geral da Universidade do Minho, Doutora Joana Marques Vidal

Cumpre-me o dever, doloroso, de partilhar com a nossa comunidade universitária a notícia do falecimento da Senhora Presidente do Conselho Geral da Universidade, Doutora Joana Marques Vidal.
A Doutora Joana Marques Vidal de há muito que colaborava com a Universidade do Minho. Essa colaboração ganhou uma nova expressão a partir do momento em que, em maio de 2021, assumiu as funções de Presidente do Conselho Geral, cargo que desempenhou, como é por todos reconhecido, com grande disponibilidade e compromisso, com isenção e equilíbrio, sempre com elevadíssimo sentido institucional.
A Universidade fica-lhe largamente devedora do trabalho que entre nós desenvolveu a partir do momento em que, como costumava dizer, passou “a ser da Universidade do Minho”.
A Universidade perde um dos seus membros ilustres. O País perde uma cidadã íntegra e interventiva, perde uma voz que, nos tempos difíceis que são os nossos, certamente nos fará muita falta.
A Universidade do Minho, recordando com profundo afeto a sua presença entre nós, apresenta aos familiares e amigos da Doutora Joana Marques Vidal as suas mais sentidas condolências.

Rui Vieira de Castro, Reitor

 

O velório de Joana Marques Vidal decorrerá na quarta-feira, “entre as 14h00 e as 22h00, na Capela de São Lourenço, em Pedaçães”, concelho de Águeda, acrescentando que as cerimónias fúnebres terão lugar na quinta-feira às 14h00 e que a ex-procuradora-geral da República será cremada no crematório de Aveiro.

“A missa de sétimo dia será celebrada na Basílica da Estrela, em Lisboa, no dia 15 de julho às 19h00”, adianta a mesma nota.

A ex-procuradora-geral da República esteve em coma induzido devido a uma operação por causa de um cancro e acabou por sofrer uma septicemia, segundo fonte próxima da família.

Joana Marques Vidal foi a primeira mulher a liderar a Procuradoria-Geral da República (PGR), exercendo o cargo entre 2012 e 2018 e sendo sucedida por Lucília Gago.

Foi nomeada para a PGR em outubro de 2012 pelo então Presidente da República Cavaco Silva, ocupando o cargo detido até então por Pinto Monteiro.

Natural de Coimbra, onde nasceu em 1955, Joana Marques Vidal licenciou-se em Direito em 1978 e entrou no ano seguinte para a magistratura do Ministério Público.