twitter

Conferência em Braga quer afirmar o Norte como uma região criativa

Conferência em Braga quer afirmar o Norte como uma região criativa
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 15 de maio de 2024, às 12:02

Evento decorre em julho

A conferência anual das cidades criativas da UNESCO, que decorrerá em Braga de 01 a 05 de julho, vai aprovar um manifesto pedindo que a Cultura passe a ser um Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS), foi hoje anunciado.

Em declarações à Lusa, a coordenadora da conferência, Joana Miranda, disse que o objetivo é “fazer lóbi” junto das Nações Unidas para que, na agenda pós-2030, a Cultura passe a ser um ODS autónomo, ganhando “mais força política”.

“Atualmente, a Cultura está diluída nos ODS mas pensamos que é tempo de a assumir com um objetivo em si, dando-lhe mais força política, e é isso que vamos pedir no manifesto a aprovar em julho, em Braga, para enviar às Nações Unidas”, referiu.

A 16.ª conferência anual das cidades criativas da UNESCO deverá reunir cerca de 600 delegados de todo o mundo, entre os quais 150 a 200 presidentes de câmara.

O evento terá epicentro em Braga, cidade criativa no campo das Media Arts, mas haverá também um dia em que os delegados se deslocarão a Barcelos (cidade criativa na área do artesanato), Santa Maria da Feira (gastronomia) e Amarante (música).

“O objetivo é afirmar o Norte como uma região criativa”, disse ainda Joana Miranda.

A conferência terá um foco especial no contributo que os jovens podem dar à construção de novas ideias e projetos.

Um foco que se consubstancia no convite a jovens para a participação em momentos de discussão e trabalho de campo, abrindo assim caminho para o encontro de políticas de transição em “áreas críticas” como a inclusão social ou o ambiente.

Criada em 2004, a Rede de Cidades Criativas da UNESCO conta com cerca de 350 membros e tem como objetivo fomentar o diálogo e a colaboração entre cidades para alavancar a cultura e a criatividade como meio de promoção para um desenvolvimento urbano sustentável nas suas diferentes facetas socioeconómicos e ambientais.

A rede cobre sete áreas criativas, designadamente Artesanato e Artes Folclóricas, Design, Cinema, Gastronomia, Literatura, Media Arts e Música.

Portugal tem atualmente 10 cidades criativas.