twitter

Pessoas com deficiência mostram talento durante 8.ª edição da Semana “Incluir+”

Pessoas com deficiência mostram talento durante 8.ª edição da Semana “Incluir+”
Fotografia DM

Rita Cunha

Jornalista

Publicado em 23 de novembro de 2023, às 18:34

Atividades decorrem de 29 de novembro a 10 de dezembro

Entre os dias 29 de novembro e 10 de dezembro, a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (BLCS), em parceria com 16 parceiros locais, organiza a 8.ª edição da Semana “Incluir+” que inclui um conjunto de 40 atividades que visam sensibilizar a comunidade para a problemática da deficiência e inclusão social de pessoas com deficiência e/ou incapacidade, promovendo a consciencialização sobre a igualdade no que respeita a sua dignidade e direitos enquanto cidadãos, garantindo a sua plena integração na sociedade.


Para além de conversas, exposições, divulgação de projetos, debates e exibição de vídeos, a iniciativa  conta com várias performances dos utentes das várias entidades envolvidas e que, desta forma, terão a oportunidade de divulgar à sociedade o seu talento, seja na área da dança como do teatro ou dos bordados. 


«Através das colaborações que temos tido com as diferentes instituições ligadas à deficiência, temo-nos apercebido que os utentes fazem trabalhos fantásticos e que muitas vezes se resumem a espaços próprios, que não vão além das portas dos edifícios das instituições, pese embora nos últimos anos se tenham vindo a expor mais um bocadinho», explicou a diretora da BLCS, salientando a importância de eventos como a Semana “Incluir+” no sentido de mostrar o que estas pessoas fazem de melhor e que constituem uma mais-valia. 


«Para eles já é uma rotina, é uma alegria. Eles são bons na área do artesanato, na área artística, nas performances, na dança, no teatro, e aqui podem mostrar do que são capazes. É um exercício de igual para igual que nós queremos promover ao longo desta semana», disse Aida Alves, defendendo uma postura de «normalidade entre a diversidade e a especificidade».

«Não podemos deixar de acompanhar pessoas que têm necessidades específicas a todos os níveis, seja cognitivas como motoras ou intelectuais, mas dar-lhes aqui um cunho de maior participação ativa em termos de cidadania e também de mostra de valores e talentos», vincou.