twitter

Primeiros formandos da PDAcademia prontos em 2025 e com 95% de empregabilidade

Primeiros formandos da PDAcademia prontos em 2025 e com 95% de empregabilidade
Fotografia DM

Carla Esteves

Jornalista

Publicado em 05 de novembro de 2023, às 10:24

Parceria veio responder às necessidades do mercado, que procurava mão de obra devidamente formada.

Os primeiros formandos da PDAcademia vão sair para o mercado de trabalho dentro de cerca de um ano e meio, prevendo-se que venham a beneficiar de uma taxa de empregabilidade muito elevada, na casa dos 95%, e que ficarão a trabalhar, na sua maioria, nos locais onde realizaram os respetivos estágios.

Inaugurada no final de 2022, em resultado de um protocolo estabelecido entre a PDAuto e a AEB (Associação Empresarial de Braga), a PDAcademia pretende dar resposta a uma das principais dificuldades sentidas pelo setor automóvel: a contratação de mão de obra especializada.

O administrador da PDAuto, Paulo Silva, considera que PDAcademia vem permitir à empresa «oferecer um serviço completo às oficinas», criando uma plataforma de cooperação que permite aproximar os formandos do mercado de trabalho e vice-versa, para além de complementar a oferta curricular com formações técnicas das marcas. «Não vendemos só peças, mas fornecemos um serviço completo às oficinas, ajudando os nossos clientes a ultrapassar a dificuldade em contratar pessoas formadas e com conhecimentos», afirmou, acrescentando que estes jovens estão a ser formados precisamente para dar resposta às necessidades dos clientes e do mercado em geral.

Segundo Paulo Silva a PDAcademia visa a formação profissionalizante na área da mecânica, constituindo-se como plataforma entre formandos, oficinas e marcas ou fornecedores de especialidade. «Havia uma lacuna neste setor porque dantes a formação fazia-se no ativo, mas o que queremos destes jovens formandos é sobretudo tratá-los bem, orientá-los e dar-lhes condições para concretizar os seus sonhos e objetivos, pois todos eles demonstram que gostam mesmo desta área», explicou, argumentando que «o mais importante neste modelo de trabalho é que estes miúdos vão para as oficinas já com formação e já cobiçados, sem necessidade de aprender uma arte».

O diretor-geral da Associação Empresarial de Braga (AEB), Rui Marques, salientou que «até agora, para contornar a dificuldade de contratação, contratava-se na concorrência, uma prática que não é desejável porque aumenta significativamente o custo do trabalho». «Em parceria com a PDAuto a AEB quer inverter estes números e formar cada vez mais jovens para entrar no mercado de trabalho», avançou, realçando que contrariamente a outras áreas ténicas, esta é uma área onde existe ainda muita apetência e procura da parte dos jovens para realizar formação.

Segundo Rui Marques, ainda antes da formação da PDAcademy, a AEB formou, ao longo dos últimos cinco anos, mais de 120 jovens, tendo quase metade deste número passado por experiências Erasmus de cerca de um mês, em países como Itália, Alemanha e Espanha. «Contudo, a formação da PDAcademia veio permitir-nos ter um centro de formação de excelência, pois a PDAuto disponibiliza equipamentos e tecnologia de última geração, que nos permitem realizar uma formação muito melhor e ter os formandos muito mais motivados. Este grupo está já num nível de evolução muito mais alto do que era habitual e não há qualquer desistência».

O desafio é agora contagiar com este espírito aqueles que já trabalham no setor, que terão na PDAcademia formações de mais curta duração e desenhadas para as suas necessidades.

Futuro é uma oportunidade

O administrador da PDAuto considera o futuro, na área da mobilidade, como «uma oportunidade» e por isso não se sente apreensivo. «Eu acredito que a combustão não vai acabar e que, num futuro próximo, vamos ter combustíveis sintéticos. Considero que a dimensão elétrica é uma realidade que vai coexistir e que as crises “limpam” quem está mal no mercado. Contudo, na minha perspetiva existem sempre oportunidades e o que pretendemos é que os clientes estejam preparados para crescerem connosco».