twitter

UMinho debate desafios da investigação doutoral na era da inteligência artificial

UMinho debate desafios da investigação doutoral na era da inteligência artificial
Fotografia DR

Redação

Publicado em 18 de outubro de 2023, às 14:56

Seminário do Departamento de Sociologia conta a 20 de outubro com Lígia Ferro, Helena Machado e Inga Ulnicane, entre outros

Os desafios da investigação doutoral e a inteligência artificial são o tema do seminário inaugural do doutoramento em Sociologia da Universidade do Minho, que vai acontecer  na próxima sexta-feira, 20 de outubro, no anfiteatro multimédia do Instituto de Educação, no campus de Gualtar, em Braga. A entrada é livre.

A sessão de abertura, arranca às 14h00, conta pela UMinho com o vice-reitor para a Investigação e Inovação, Eugénio Campos Ferreira, o diretor do Departamento de Sociologia, Fernando Bessa, e a diretora do programa doutoral em Sociologia, Emília Araújo.

A partir das 14h30, juntam-se ao debate a presidente da Associação Europeia de Sociologia, Lígia Ferro, e a coordenadora do Conselho Científico de Artes, Humanidades e Ciências Sociais da FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Helena Machado.

A professora Inga Ulnicane, da Universidade de Montfort (Reino Unido) e uma referência no ensino e pesquisa sobre ciência, tecnologia e inovação, entra a seguir, para falar sobre o tema “Sociologia na era da inteligência artificial”. Segue-se a apresentação da rede de investigação “AIDA” (Inteligência Artificial, Dados e Algoritmos). Prevê-se ainda, às 17h00, um encontro com (ex-)estudantes e docentes do doutoramento em Sociologia e representantes de outras entidades, destinado a apresentar aquele curso e as suas principais realizações.

Por vivermos numa era caracterizada pela rapidez impulsionada pelo crescente uso de tecnologias na pesquisa científica, torna-se essencial identificar os novos contornos que se impõem neste processo durante os próximos anos, em particular na sociologia. Este seminário visa, assim, analisar as implicações da definição e abrangência da inteligência artificial, nomeadamente no que diz respeito à geração, tratamento e utilização de dados. 

A iniciativa conta com apoio da FCT e do programa “Skills 4 Pós-Covid – Competências para o Futuro no Ensino Superior”, financiado pelo Programa Operacional Potencial Humano.