twitter

Pediatras sensibilizam alunos para impacto do sono e da alimentação na aprendizagem

Pediatras sensibilizam alunos para impacto do sono e da alimentação na aprendizagem
Fotografia DR

Joaquim Martins Fernandes

Jornalista

Publicado em 18 de outubro de 2023, às 09:43

Iniciativa realiza-se amanhã na escola do 1.º ciclo de S. Lázaro, em Braga

    A EB1 de S. Lázaro, em Braga, realiza amanhã, dia 19 de outubro, uma ação de sensibilização dos alunos para a importância do sono e da alimentação saudável no processo de aprendizagem. A iniciativa, que enquadra no âmbito da Semana da Alimentação, conta com a colaboração de várias pediatras do hospital público de Braga, disse ontem  Ana Paula Reis, coordenadora do estabelecimento de ensino.

 «São seis médicas internas de pediatria do Hospital de Braga que vão fazer uma palestra para os alunos da EB1 de São Lázaro sobre alimentação saudável», disse Ana Paula Reis, acrescentando que as especialistas do hospital público de Braga vão também «sensibilizar os alunos para a importância do sono numa vida saudável e na aprendizagem». Conforme revelou, o pedido de colaboração que a escola dirigiu às pediatras da unidade hospitalar bracarense surgiu na sequência da deteção «de alguns problemas alimentares relacionados com o lanche» que os estudantes levam de casa.

 «Perante esse problema, falamos com uma médica pediatra e ela mostrou disponibilidade em ir à escola e falar com os meninos», referiu Ana Paula Reis, salientando que o trabalho de sensibilização das médicas será feito de uma forma pedagógica, com recurso a jogos que «permitam, de alguma forma, incentivar as crianças a optarem pelo consumo de alimentos saudáveis». A coordenadora da escola revelou que boa parte das crianças da EB1 de S. Lázaro «fazem lanche à base de muito alimentos processados, pouca fruta e poucos iogurtes».

 «Achamos que esta iniciativa pode ser um bom caminho para ajudar na mudança dos hábitos alimentares», continuou Ana Paula, notando que tem um outro impacto no processo de sensibilização dos alunos que «seja alguém de fora e com estatuto de médica a realçar a importância na saúde de um pequeno almoço saudável, de lanches saudáveis e da importância do sono no processo de aprendizagem». Embora esta primeira ação seja exclusivamente destinada aos alunos da EB1, Ana Paula Reis admite que «mais tarde também possa ser criada alguma parceria com a Associação de Pais, tendo em vista a realização de palestras também direcionadas para pais e encarregados de educação. A opção por este primeira realização ser dirigida exclusivamente aos alunos assenta na convicção do poder das crianças sobre os pais. «São elas que, normalmente, chegam a casa e dizem aos pais: eu não quero isto, quero levar produtos mais saudáveis». Ana Paula Reis não desliga os problemas alimentares detetados na escola da falta de uma maior variedade de produtos nos programas de fruta escolar. «A escola fomenta sempre o consumo da fruta escolar. O problema é que muitos alunos não gostam de maça, não gostam de pêra, não gostam de laranja. Mas também precisamos de trabalhar um bocadinho a parte da família, no sentido de promover uma boa alimentação», sublinha.