Fotografia: DR

Abriu-se um buraco na Linha do Norte… outra vez

Os comboios entre Porto e Ovar estiveram suspensos durante cerca de duas horas. A circulação já foi reposta, mas está limitada a 10 km/h.

João Pedro Quesado/Agência Lusa
18 Jan 2023

A Linha do Norte, a principal linha ferroviária portuguesa, voltou a sofrer na manhã desta quarta-feira um abatimento no mesmo local da passada quinta-feira. A circulação já foi reposta após vários atrasos e cancelamentos, porém a velocidade dos comboios está limitada.

De acordo com o ECO, o abatimento de via foi registado às 11h10, junto à estação técnica de Francelos, no sentido sul-norte, e tem uma dimensão inferior ao da semana passada. Segundo a Agência Lusa, uma fonte oficial da Infraestruturas de Portugal (IP) informou que a circulação foi reposta nos dois sentidos entre o apeadeiro de Francelos e a estação da Granja, em Vila Nova de Gaia, pelas 13h25.

Durante esse período de mais de duas horas, os comboios entre o Porto e Ovar foram suspensos, o que afetou ligações de Braga, Guimarães, Barcelos, Viana do Castelo e Valença em direção ao Centro e Sul do país, assim como no sentido inverso.

Ainda de acordo com a Agência Lusa, a circulação está a ser feita com uma limitação de velocidade de 10 quilómetros por hora (km/h), concretamente entre os quilómetros 326 e 326,1 da Linha do Norte.

O abatimento desta quarta-feira, ao quilómetro 326 da Linha do Norte, ocorreu perto do da semana passada, que se verificou no quilómetro 325, numa zona que está em obras para construção de uma passagem inferior, e causou condicionamentos entre quinta e sexta-feira.

Esse abatimento em Francelos, Vila Nova de Gaia, causou 52 supressões de comboios e 130 atrasos, que totalizaram 7.320 minutos, segundo a CP.

A circulação ferroviária esteve condicionada entre a estação de Vila Nova de Gaia (Devesas) e o apeadeiro de Francelos entre quinta e sexta-feira, devido a um abatimento na via que está a ser intervencionada pela IP no âmbito do programa Ferrovia 2020.

O troço entre Espinho e Vila Nova de Gaia está atualmente em obras no valor de 55,3 milhões de euros, e deverão concluir-se no início deste ano, disse fonte oficial da IP à Lusa no dia 4 de novembro. Essas obras incluem ainda as eliminação das passagens de nível, com a construção de 17 desnivelamentos.

O Ferrovia 2020 tinha programadas estas obras para o período entre o último trimestre de 2017 e o segundo trimestre de 2019. Apesar disso, as obras apenas começaram em julho de 2020, e só devem estar concluídas no final de 2023.

Também noutra zona da Linha do Norte, em Souselas – que já foi intervencionada no âmbito do Ferrovia 2020 –, ocorreu um abatimento de via a 30 de dezembro, decorrente das chuvas intensas. A IP suspendeu a circulação numa das vias da linha, entre Pampilhosa e Souselas, até ao início de março.

As obras problemáticas no troço da Linha do Norte entre Vila Nova de Gaia e Espinho estão a cargo de um consórcio ibérico que inclui a empresa bracarense dst.

Notícia atualizada a 22 de janeiro com informação do consórcio responsável pelas obras.





Notícias relacionadas


Scroll Up