Fotografia: HUGO DELGADO/LUSA

Presépio de Priscos é inaugurado a 11 de dezembro

A encenação da cena do nascimento de Jesus vai estar aberta ao público em diferentes dias, com horários variados.

Redação
2 Dez 2022

O famoso Presépio de Priscos vai ser inaugurado a 11 de dezembro. O presépio ao vivo, organizado pela Paróquia de São Tiago de Priscos, em Braga, vai ser inaugurado com a presença de Marta Nogueira, a “menina milagre”, que luta para reverter danos causados por duas balas na cabeça desde 2015, quando foi vítima de uma tentativa de homicídio pelo namorado.

O Presépio de Priscos vai estar aberto ao público em diferentes dias, com horários variados. No dia da inauguração é possível visitá-lo entre as 11h e as 18h30, mas a 18 de dezembro já só é possível fazê-lo entre as 15h e as 18h30, e no dia 25 de dezembro o horário das visitas começa apenas às 16h.

Em janeiro, no dia 1, repete-se o horário do dia de Natal, com visitas entre as 16h e as 18h30. A 7 de janeiro, só é possível visitar à noite, entre as 20h e as 22h30, tal como no dia 14 de janeiro. Já o horário entre as 15h e as 18h30 vai voltar a ser praticado nos dias 8 e 15 de janeiro.

Os jovens até aos 16 anos não pagam entrada, e os adultos pagam 5 euros. A organização aceita pré-marcações para grupos superiores a 10 pessoas.

No 16.º ano do Presépio de Priscos, “a organização quer ajudar figurantes e visitantes a refletir sobre a violência no namoro”. Em comunicado, afirmam que “todas as formas de violência no namoro (física, psicológica, sexual, social, verbal) têm por base uma relação de poder desigual entre os/as parceiros/as e são usadas como estratégias de controlo” e acrescentam que “aprender a amar alguém não é algo que se improvisa e não pode estar ao sabor de impulsos colocando em risco a integridade física e/ou psicológica do parceiro(a)”.

“Qualquer indício de violência, por menor que pareça, deve chamar a atenção. Não se trata de resistir, mas quando há um conflito, é importante gerir a situação. É normal num relacionamento haver momentos de desacordo, mas não necessariamente violência de qualquer tipo. Não se deve disfarçar e muito menos achar que é algo normal”, diz ainda a Paróquia de São Tiago de Priscos, liderada pelo Pe. João Torres.

O Presépio ao Vivo de Priscos existe desde 2006 e consiste num espaço de 30 mil metros quadrados, com mais de 90 cenários e 600 figurantes, e procura “transmitir o coração mais profundo do presépio”, assim como “colocar Deus Menino no primeiro lugar sem o folclore das cidade natal, com as suas coreografias publicitárias, os seus aparatos de luzes e de presentes e os seus rituais comerciais. É um presépio ao vivo, representativo do presépio tradicional, com ritmos e rotinas do quotidiano hebraico e romano – labores e costumes – que recriam uma moldura cenográfica de um povo, num despojamento fantasioso da época do nascimento de Jesus e submetido ao poderoso Império Romano”.

O Preséprio conta com a presença de reclusos do Estabelecimento Prisional de Braga, enquadrada pelo projeto “Mais Natal – Priscos”, vencedor do orçamento participativo de 2015, 2016 e 2018 do Município de Braga.





Notícias relacionadas


Scroll Up