Fotografia:

Braga vê descentralização de competências na Saúde como «oportunidade única»

Sameiro Araújo afirmou que «há muito que a Saúde extravasou as paredes das Unidades de Saúde».

Redação
15 Out 2022

A vice-presidente da Câmara de Braga, considerou, ontem, a descentralização de competências na área da saúde como «uma oportunidade única» na evolução do paradigma da saúde nacional. 

Sameiro Araújo, que é também responsável pelo pelouro da Saúde na Cãmara de Braga, fez votos de que «este processo não recaia apenas  nas dimensões administrativa e económico-financeiras e que se aproveite esta oportunidade para que os municípios possam ser verdadeiramente parceiros na promoção da saúde e combate à doença».

A responsável falava durante a sessão de abertura do 13.º Encontro Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF), que hoje termina, no Altice Forum Braga.

Aproveitoando a presença do ministro da Saúde Manuel Pizarro, para lembrar o processo de descentralização de competências nesta área, afirmou que «há muito que a Saúde extravasou as paredes das Unidades de Saúde e assume cada vez mais um carácter multidimensional com uma pluralidade crescente de entidades e intervenientes».

Neste encontro nacional, que pretende ser um momento de reflexão sobre o passado e de discussão do caminho a seguir para o futuro, Sameiro Araújo lembrou o trabalho realizado no combate à pandemia e agradeceu a todos os profissionais de saúde que ao longo dos últimos dois anos e meio estiveram na linha da frente.

«Foram muitos momentos difíceis, entretanto ultrapassados, que vieram criar novos desafios e viver uma nova realidade, mas que nos obrigam, enquanto poder político, a avaliar este percurso e a tomar as devidas ilações. Contudo, nem tudo foi mau em todo este processo. A pandemia veio ajudar a criar e a reforçar laços entre o Estado central e as autarquias e entre as autarquias e a sociedade civil, cujo o resultado foi mais que evidente. Esta é uma articulação deve ser continuada em prol das pessoas, nomeadamente na sua saúde e bem-estar», concluiu a vice-presidente, Sameiro Araújo.

Ministro sublinha aposta do Governo nos cuidados de saúde primários 

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, sublinhou a aposta do Governo em «acarinhar e generalizar» os cuidados de saúde primários, defendendo que o caminho tem de passar por melhor organização, mais profissionais e melhores condições.

Na abertura do 13.º Encontro Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF), Pizarro disse ainda que o objetivo é conseguir que «cada português tenha direito a uma equipa de saúde familiar».

«Os cuidados de saúde primários são centrais no sistema de saúde português», afirmou.

O ministro admitiu que é preciso, nomeadamente, resolver o problema da «omnipresença da burocracia» e das falhas informáticas e de material.

 Defendeu também que é preciso encontrar «uma forma ágil» de substituir profissionais.

Em relação a instalações e equipamentos, lembrou que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) prevê uma verba de 366 milhões de euros para a construção de 100 novas USF e para a remodelação de outras 150.

«Precisamos de acarinhar e generalizar os cuidados de saúde primários, com melhor organização, mais profissionais e melhores condições (…). Temos de criar condições para que todos tenham uma equipa de saúde familiar», referiu. 





Notícias relacionadas


Scroll Up