Fotografia: Avelino Lima
Obras no Bairro de Santa Tecla arrancam já em 2018

A data prevista para o arranque das obras foi ontem avançada pelo administrador executivo da Bragahabit.

Carla Esteves
14 Nov 2017

Deverá arrancar já no próximo ano a reabilitação integral das habitações do Bairro Social de Santa Tecla, um projeto orçamentado em mais de três milhões de euros, que irá prolongar-se por mais de um ano e meio. Para além da renovação integral dos blocos, nomeadamente a renovação de interiores e exteriores, a intervenção terá lugar em toda a área envolvente, estando cerca de um milhão do investimento destinado a arranjos externos e circulação do trânsito.

A data prevista para o arranque das obras foi ontem avançada pelo administrador executivo da BragaHabit, Vítor Esperança, no seguimento de algumas queixas que um grupo de moradores do Bairro Social de Santa Tecla fez chegar ao Diário do Minho relativamente ao estado geral de degradação existente no interior das casas.

Além da falta de pintura, e da degradação geral das paredes, os moradores queixaram-se do estado de  desgaste das louças das casas de banho e da falta de conforto nas habitações. Queixam-se também que algumas situações relatadas através de requerimentos efetuados em 2013 ainda não não foram alvo de resolução.

Acusam ainda o administrador da BragaHabit de «não dar seguimento aos requerimentos» e de«não os receber» e «recusar as chamadas telefónicas» que lhe dirigem.

Vítor Esperança nega peremptoriamente que esteja em causa algum tipo de discriminação, e esclarece que «todos os moradores são recebidos por via do atendimento normal, sendo posteriormente encaminhados para o técnico adequado mediante a situação». Revelou ainda que os requerimentos são todos tratados por escrito, encontrando-se atualmente em processo de informatização».

No que respeita às anomalias apontadas pelos moradores, Vítor Esperança esclarece que «as anomalias reconhecidas com caráter de emergência foram de imediato tratadas». Admite, contudo,  que «as obras de reparação foram de facto suspensas porque se encontra em curso o concurso de adjudicação para o referido projeto de regeneração total do bairro».




Notícias relacionadas


Scroll Up