twitter

O concerto dos U2 e as leis simpáticas...

Esta crónica resulta de uma situação que foi colocada ao CIAB recentemente. Todos conhecem a banda de rock irlandesa U2. Criada em 1976, tem muitos milhões de fans em todo o mundo e os seus concertos esgotam sempre.

Recentemente foi anunciada a sua vinda a Portugal, inicialmente para um concerto em 16 de setembro próximo na Altice Arena em Lisboa e, porque os bilhetes postos à venda esgotaram em menos tempo do que leva a ler esta crónica, foi anunciado um segundo concerto para o dia seguinte no mesmo espaço.

Face ao êxito desta banda, logo que foi anunciada a venda dos bilhetes em diversos locais, designadamente em diversas lojas da empresa MEO, formaram-se filas de candidatos para adquirir os ansiados bilhetes para este espetáculo.

Contudo, no dia 26 de janeiro, pelas 10 horas, quando as lojas abriram portas, muitos dos que aguardavam na fila ao fim de muitas horas foram surpreendidos pela chegada de pessoas que, alegando o estatuto de prioritárias, previsto na lei do atendimento prioritário, passaram à frente daqueles que aguardaram toda a noite e adquiriram os bilhetes para o concerto (máximo de 4 por pessoa).

Dado o elevado número de prioritários, os bilhetes que a loja possuía esgotaram muito rapidamente e muitos dos que estavam na fila não conseguiram adquirir ingressos para o concerto.

A lei do atendimento prioritário, que já abordámos em crónicas anteriores, institui a obrigatoriedade de prestar atendimento prioritário às pessoas com deficiência ou incapacidade, pessoas idosas, grávidas e pessoas acompanhadas de crianças de colo, para todas as entidades públicas e privadas que prestam atendimento presencial ao público.

De facto, a lei tem um propósito nobre, mas é necessário que as entidades que a aplicam (todas as entidades públicas e privadas que prestam atendimento presencial ao público) a interpretem devidamente e também é necessário que os cidadãos destinatários da lei façam uso deste direito de uma forma equilibrada.

Cúmulo das ironias, na referida fila e no caso que referimos, havia pessoas que podendo invocar o direito ao atendimento prioritário não o fizeram, por respeito daqueles que passaram a noite à espera na referida fila.

Caso pretenda saber mais sobre este assunto, contacte o CIAB: em Braga: na R. D. Afonso Henriques, n.º 1 (Ed. da Junta de Freguesia da Sé) 4700-030 BRAGA * telefone: 253 617 604 * fax: 253 617 605 * correio eletrónico: [email protected] ou em Viana do Castelo: Av. Rocha Páris, n.º 103 (Villa Rosa) 4900-394 VIANA DO CASTELO * telefone 258 809 335 * fax 258 809 389 * correio eletrónico: [email protected] , ou ainda diretamente numa das Câmaras Municipais da sua área de abrangência ou em www.ciab.pt.


Autor: R. A. ao Consumidor Endividado
DM

DM

3 fevereiro 2018