twitter

Crimes Contra a Humanidade: onde estão os Humanistas?

Seja ligados a universidades, empresas ou associações. E porque mais vale tarde do que nunca, é altura de se mexerem a sério. Não basta dizer como Guterres que “estou muito perturbado”. Não basta ser comentador de televisão ou de jornal. E contra nós também falamos, embora de consciência limpa. Estamos sempre a comentar aquilo que a nossa consciência dita, apesar de já termos a nossa lista de ameaças.

Quanto mais é assim, mais temos vontade de escrever! E apesar de tudo, somente temos a agradecer a esmagadora maioria de elogios que, modéstia à parte, temos recebido de Portugal, Brasil, etc., onde aliás já publicámos 50 crónicas em livro na prestigiada Editora Juruá. Dá-nos gosto comentar contra os algozes do lápis azul.

Faz um ano que apresentámos por escrito um projecto para ajudar de alguma forma os refugiados com vista a obtenção de financiamento público, aguardamos resposta… Sobre isto não diremos aqui mais uma única palavra. A altura chegará. Ouvimos o presidente Donald Trump a dizer que os EUA vão intervir na Síria, mesmo sem o aval da ONU. O presidente Trump, salvas todas as coisas em que podemos estar menos de acordo, parece que foi dos poucos Homens com poder que disse que ia fazer alguma coisa sobre isto.

Parabéns: se ninguém os dá, damos nós. Podemos esperar da Europa alguma coisa? Temos esperança que sim, contudo a intervenção recente do n/Paulo Rangel no “Parlamento Europeu” foi muito oportuna, invocando Shakespear (ou De Vere?) junto de Nigel Farage, por causa do Brexit, mas o que mais nos ressaltou ao olhar depois de ver o pequeno filme é que grande parte das cadeiras dos eurodeputados estavam literalmente vazias... Onde estarão os eurodeputados?! Onde está a Europa? Faz-nos lembrar a crise da “Cadeira Vazia” quando em 1965 a França, por causa da Política Agrícola Comum que a Comissão queria lhe impor, deixou de aparecer nas reuniões, bloqueando o funcionamento da CE-CEE e afins! Ai, Europa, Europa, de que é que tu estás à espera?

És uma 10.ª Sinfonia de Ludwig no fundo do mar... Mutatis mutandis, Jorge Palma, Eh, eh, eh.. Aguardemos. É certo que poderá haver ainda mais vítimas com uma intervenção militar, mas também é certo que para esmagar Hitler e todos aqueles atrasados mentais, foi preciso fazer alguns sacrifícios de parte a parte. A Legítima Defesa, já o dissemos, é plenamente aceite pela mais estrita Doutrina da Santa Igreja Católica, Apostólica e Romana (São Tomás de Aquino na anotação ao “Não Matarás”). A pena de morte também, ainda que em casos muito raros (São João Paulo II ibidem).

Pessoalmente, somos contra a pena de morte, mas completamente a favor da Legítima Defesa, estando disposto a praticá-la quando for necessário. É um direito fundamental constitucional de todo o ser humano. Já antes, o presidente Obama tinha ameaçado da linha vermelha. Mas parece que as linhas do arco-íris já foram ultrapassadas.

Os ataques de armas químicas provocaram a cegueira em crianças, doenças incuráveis, dores indescritíveis nos inocentes… De entre os sobreviventes haverá futuros terroristas, mas também Santos. A todos os distraídos, vejam como Saulo que perseguia e matava cristãos (Santo Estêvão que o diga!), na estrada de Damasco, na Síria, depois do encontro com Deus, se transformou em São Paulo, um dos maiores Doutores da Igreja!


Autor: Gonçalo S. de Mello Bandeira
DM

DM

7 abril 2017