twitter

D. Jorge Ortiga convoca cristãos para «combate à pobreza e exclusão social»

D. Jorge Ortiga convoca cristãos para «combate à pobreza e exclusão social»
Fotografia

Publicado em 07 de março de 2021, às 18:01

Arcebispo de Braga alerta que a situação «é grave» e tem tendência para se agravar.

O Arcebispo de Braga pediu hoje aos cristãos que estejam atentos às novas formas de pobreza existentes na sociedade portuguesa e procurem dar uma resposta. No dia em que a Igreja celebrou o Dia Nacional Cáritas, D. Jorge Ortiga apelou ainda à generosidade dos fiéis para com esta e outras instituições católicas que neste tempo de pandemia são mais solicitadas por quem necessita de apoio. «Precisámos de um olhar que vê as necessidades dos outros e de abrir os olhos para as novas formas de pobreza e comprometer as comunidades na realização de respostas de proximidade e de solidariedade», disse o Arcebispo de Braga na Eucaristia a que presidiu na Sé Primacial, no Dia Nacional Cáritas, D. Jorge referiu que estamos a viver uma situação de «verdadeira emergência social» e com o agravar da situação sócio-económica «vamos ter necessidade de um verdadeiro combate à pobreza e à exclusão social que daí vai surgir». «Sabemos que a situação é grave e com tendência para se agravar ainda muito mais. Há pessoas e família que não estavam habituadas a dificuldades financeiras. Tinham uma vida devidamente estruturada e agora sentem-se na obrigação de solicitar ajuda para encontrar resposta à exigências mais elementares. Todos temos uma grande esperança de que a questão sanitária do vírus seja ultrapassada. Mas teremos que tomar consciência de que a dimensão social irá exigir muito sacrifício e ainda muito mais tempo», afirmou. O Arcebispo chamou a atenção também para as situações de pobreza que já existiam e que a crise pandémica veio agudizar, pedindo aos cristãos que olhem para a realidade com olhos de ver a fim de poder «descortinar as feridas» de quem sofre e precisa de ajuda. «Precisámos de amar os pobres. Não é só dar esmolas e depois lavar as mãos perante tantas situações inumanas que ainda existem», disse o prelado, lembrando que a vivência da fé cristã passa pelo amor ao próximo. O Arcebispo de Braga dirigiu-se também às pessoas que estão a passar por necessidades, pedindo-lhes que não exitem em pedir ajuda junto do pároco da sua comunidade ou junto dos Serviços da Arquidiocese. [Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]
Autor: Jorge Oliveira