twitter

JMJ: Aldeia Jovem acolhe peregrinos que visitam Fátima no âmbito da Jornada

JMJ: Aldeia Jovem acolhe peregrinos que visitam Fátima no âmbito da Jornada
Fotografia Santuário de Fátima

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 25 de julho de 2023, às 09:03

O Santuário de Fátima preparou para os peregrinos que passam pela Cova da Iria a caminho, ou no regresso, da Jornada Mundial da Juventude, a Aldeia Jovem, espaço de acolhimento aberto aos que não reservaram antecipadamente alojamento.

Operacional desde sábado, 22 de julho, num dos parques de estacionamento junto ao Centro Pastoral Paulo VI, entrou em pleno funcionamento na segunda-feira, tendo cabido a um grupo de 17 peruanos, oriundos da Universidade Católica Santo Toríbio de Mogrovejo, em Chiclayo, a “inauguração” das tendas de pernoita, com capacidade para meio milhar de pessoas.

“A Aldeia Jovem foi preparada para acolher toda esta massa humana de jovens que passará por Fátima, tendo em conta a Jornada Mundial da Juventude. Neste espaço, temos duas valências, um espaço de refeições, para que os jovens possam tomar uma refeição e um espaço para que os peregrinos possam acantonar, ou seja, possam descansar um pouco e dormir, obviamente, com todas as condições de casas de banho, de duches”, disse à agência Lusa André Silva, responsável pelo Departamento de Vigilância e Gestão Operacional do Santuário.

Para este responsável, “as inscrições são por ordem de chegada”, pretendendo “ir ao encontro daqueles jovens que, de alguma forma, não se prepararam e passam pelo santuário e não têm as condições, não vieram preparados para esse efeito. Aqui podem encontrar essas condições”.

Quanto à capacidade de acolhimento, além das cerca de 500 camas distribuídas por tendas – uma com capacidade para cerca de 100, e um conjunto de tendas instaladas pelas Forças Armadas, com capacidade para cerca de 20 pessoas cada uma -, o serviço de refeições tem capacidade para servir cerca de 2.000 jovens por dia, quer no serviço de ‘vending’, com máquinas instaladas no espaço, quer nas refeições rápidas à hora de almoço e jantar, explicou.

A dormida é gratuita, as refeições são pagas pelos peregrinos.

Já sobre a previsão de quantas pessoas serão acolhidas durante o funcionamento da Aldeia Jovem, que se prolonga até 10 de agosto, André Silva considerou que “é muito difícil” perspetivar.

“A preocupação do santuário foi criar um mínimo de condições dentro daquilo que é a expectativa, tendo em conta os fluxos de peregrinos também nas grandes peregrinações. Portanto, aqui a preocupação foi mais numa lógica de contingência”, adiantou.

Satisfeitos mostravam-se os 17 peruanos que “inauguraram” as tendas da Aldeia Jovem.

Simon, professor de Filosofia, sublinhou à agência Lusa a importância da vinda a Portugal para a JMJ.

“Somos uma Universidade Católica e a formação é importante. Vimos com estudantes universitários, docentes universitários, um capelão, e queremos cimentar a nossa fé”, disse o professor, que desde 2019 participa na preparação do grupo que se deslocou de Chiclayo a Portugal.

Por seu turno, Milagros Vizconde, de 28 anos, profissional na área da comunicação, e integrada no grupo de Simon, não esqueceu o impacto que teve em si a Jornada Mundial da Juventude no Panamá, em 2019.

“Fiquei encantada por ver toda a juventude reunida, de todo o mundo, e todos com o mesmo propósito: encontrar Francisco e encontrar Cristo. E senti essa unidade.

Então, eu disse que queria participar nas seguintes Jornadas e apontei para isso. E queria estar nesta, que é noutro continente, noutro lugar. É um sonho poder estar cá com a comunidade da universidade onde eu estudei.

“Somos um grupo variado de jovens, estudantes, alguns docentes, e estou muito contente, pois, pessoalmente, tenho muita devoção pela Virgem de Fátima. E é importante poder fazer uma paragem em Fátima antes de chegar a Lisboa para a Jornada”, disse Milagros à Lusa.

Para a jovem, o facto de Francisco ser um Papa da América Latina não é indiferente: “Sendo latino-americano, sentimo-lo muito mais próximo. E também tem um carisma especial. A sua forma de falar, de comunicar, é bastante próxima, alegre”.

O mesmo pensa Alex, guatemalteco, para quem Francisco é “claro, contundente”.

“Encanta-nos escutá-lo, porque tem uma linguagem direta, não há barreiras”, disse, em pleno recinto do Santuário de Fátima, onde reconheceu que as expectativas que traz para a JMJ “são demasiado grandes”.

“Mas, nós viemos de coração aberto para ver o que Jesus e Maria nos querem mostrar, e o que os três pastorinhos [de Fátima] nos querem ensinar, pois eles sendo três, conquistaram o mundo inteiro. Nós queremos ser mais e conquistar muito mais que eles também”, acrescentou, falando em nome de diversos jovens da Guatemala que, depois de 19 horas de viagem via Madrid, aproveitaram passar por Fátima antes de rumar a Lisboa.

E para estes jovens que passam por Fátima no âmbito da JMJ, o Santuário preparou um conjunto de propostas pastorais, que logo na segunda-feira começaram a despertar o interesse de muitos.

“Criámos, nomeadamente, a proposta de seis caminhos de peregrinação a pé a partir de seis pontos em torno de Fátima, capelas ou igrejas paroquiais, com distâncias entre os cinco e os 17 quilómetros, para que os grupos ou os peregrinos jovens individualmente, que desejem fazer uma experiência de peregrinação a pé a Fátima, tão típica, a possam fazer no curto período em que cá estarão”, disse André Pereira, diretor do Departamento de Acolhimento e Pastoral Santuário de Fátima.

O responsável explicou que a ideia é que os grupos possam, através dessa proposta, conhecer o acontecimento de Fátima, conhecer os protagonistas e alguns dos temas-chave.

Fátima é um dos locais onde o Papa Francisco estará no âmbito da JMJ Lisboa 2023, estando prevista a sua deslocação ao Santuário na manhã de 05 de agosto, sábado. A JMJ realiza-se entre 01 e 06 de agosto, em Lisboa.