twitter

Covid-19: Estrutura de retaguarda de Viana do Castelo desativada em abril

Covid-19: Estrutura de retaguarda de Viana do Castelo desativada em abril
Fotografia

Publicado em 10 de março de 2021, às 11:40

A estrutura foi instalada em abril de 2020 pela Câmara de Viana do Castelo. Inicialmente esteve prevista a sua desativação no final de outubro desse ano, mas, entretanto, a Câmara de Viana do Castelo e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) decidi

A Estrutura de Apoio de Retaguarda (EAR) instalada no centro cultural de Viana do Castelo para doentes com covid-19 vai ser desativada no dia 01 de abril, revelou hoje o presidente da proteção civil distrital. "A decisão prende-se com a avaliação da situação epidemiológica no distrito de Viana do Castelo, que aponta para uma forte diminuição do número de novos casos de infeção por covid-19, pela maior capacidade do hospital distrital de Viana do Castelo e pelas várias Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) da região para acolher as pessoas com a doença", disse hoje à agência Lusa Miguel Alves. O socialista, que também preside à Câmara de Caminha, acrescentou que "os últimos números divulgados apontam para 203 casos ativos da doença em todo o distrito, que contrastam com os valores sempre superiores a 2.000 casos ativos durante o mês de janeiro". "Por outro lado, os dados sobre internamento no hospital de Viana do Castelo são, também, bastante menores. Neste momento, estão oito doentes internados na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) e 30 em enfermaria", sublinhou. O presidente da comissão distrital de proteção civil adiantou que "a EAR tem, neste momento, dois utentes internados, sendo que ao longo do tempo em que esteve em atividade recebeu 92 doentes". A estrutura foi instalada em abril de 2020 pela Câmara de Viana do Castelo. Inicialmente esteve prevista a sua desativação no final de outubro desse ano, mas, entretanto, a Câmara de Viana do Castelo e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) decidiram prolongar o seu funcionamento devido ao aumento de casos de covid-19 na região.  
Autor: Redação