twitter

Alunos do IPCA adaptam brinquedos a crianças com paralisia cerebral em Barcelos

Alunos do IPCA adaptam brinquedos a crianças com paralisia cerebral em Barcelos
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 30 de novembro de 2023, às 10:42

No âmbito de um projeto solidário e inclusivo.

Estudantes do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA), em Barcelos, estão a adaptar brinquedos eletrónicos para que possam ser facilmente manuseados e desfrutados por crianças com paralisia cerebral, no âmbito de um projeto solidário e inclusivo.

O diretor do curso de licenciatura de Engenharia Eletrónica e Computadores, Daniel Miranda, disse hoje à Lusa que serão adaptados cerca de meia centena de brinquedos, recolhidos no Centro Escolar António Fogaça, em Barcelos, no distrito de Braga. “São todos brinquedos eletrónicos, que estavam avariados e que nós vamos consertar e adaptar, para que possam ser usados por crianças com problemas de mobilidade, sobretudo com paralisia cerebral”, referiu.

Este ano, à “Oficina do Brinquedo” chegaram duas consolas, oferecidas por um ex-aluno mentor do projeto. “As consolas vão dispor de dois botões de alguma dimensão, para facilitar a vida a quem possa ter alguma dificuldade em clicar em teclas”, explicou o estudante Pedro Cunha, do Núcleo de Engenharia da Associação Académica do IPCA.

No total, a “Oficina do Brinquedo” envolve cerca de 40 estudantes que vão recuperar e adaptar meia centena de brinquedos, entre carrinhos, peluches e bonecas. Os brinquedos serão depois entregues às crianças da Associação de Pais e Amigos de Crianças (APAC), para celebrar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se assinala no dia 3 de dezembro. A entrega surge, assim, a tempo de proporcionar um Natal mais feliz a crianças com mobilidade reduzida.

Alexandre Correia, outro dos alunos envolvidos no projeto, esteve presente na entrega dos brinquedos recuperados no ano passado e recorda a emoção das crianças que os receberam. “Houve crianças que saíram logo abraçadas aos peluches”, referiu.

Entretanto, no dia 12, os estudantes da Escola Superior de Tecnologia do IPCA irão fazer “uma demonstração da sua arte” às crianças do Centro Escolar António Fogaça, com o objetivo de despertar nos mais novos o gosto pela tecnologia e de alertar para a problemática de nem todos os brinquedos poderem ser utilizados por todos.