twitter

Câmara de Arcos de Valdevez averigua acidente que feriu gravemente uma jovem

Câmara de Arcos de Valdevez averigua acidente que feriu gravemente uma jovem
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 24 de junho de 2023, às 11:14

Na quinta-feira, uma jovem de 15 anos foi “sugada” pela comporta do açude da Valeta.

 A Câmara de Arcos de Valdevez está a investigar as causas do acidente que, quinta-feira, na praia fluvial da Valeta, deixou em estado crítico uma jovem de 15 anos.

Na quinta-feira, por volta das 16h30, uma jovem de 15 anos foi “sugada” pela comporta do açude da Valeta, situado junto à praia fluvial, no centro da vila de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo. Segundo fonte do Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil do Alto Minho, a jovem sofreu “traumatismos graves na cabeça”, tendo sido transportada em “estado grave” ao hospital de São João, no Porto. Contactada pela Lusa, fonte daquela unidade hospitalar disse que a jovem se encontra “em estado crítico, mas estável”.

À Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, João Manuel Esteves, disse que a autarquia está a “averiguar as circunstâncias em ocorreu o acidente”. “Lamentamos o que aconteceu. Contactamos de imediato com a família. Estamos mais preocupados com que a jovem esteja bem e recupere”, afirmou.

O autarca social-democrata adiantou que a época balnear na praia da Valeta, no centro da vila, abre no sábado. Durante a época balnear a praia fluvial é vigiada por nadadores-salvadores. Fora da época balnear, adiantou João Manuel Esteves, “no local está colocado um sinal de proibição de nadar e saltar para a água e, nas imediações da comporta do açude, estão instaladas boias para assinalar a interdição de transpor aquela barreira.

O autarca adiantou que a gestão da comporta é da responsabilidade da Câmara de Arcos de Valdevez, que adjudicou a sua manutenção a uma empresa. Anteriormente à Lusa, a GNR disse que vai enviar para o Ministério Público (MP) o registo do acidente.

Fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, adiantou que “o processo daquela ocorrência está a ser ultimado e, que será remetido para o MP no prazo legal previsto, de 10 dias”. Aquela fonte adiantou que caberá ao MP decidir as medidas necessárias para a apurar as razões do acidente.