twitter

Consumo de gás natural com redução de quase 20% em setembro

Consumo de gás natural com redução de quase 20% em setembro
Fotografia Unsplash

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 20 de outubro de 2023, às 10:48

O consumo global de gás natural registou uma redução de 19,7% em setembro, com maior expressão na vertente de consumo convencional, que caiu 22,8%, segundo dados na Adene – Agência para a Energia, hoje divulgados.

“Durante o mês de setembro de 2023, registou-se uma redução de 19,7% [no consumo global de gás natural], face à média histórica dos últimos cinco períodos homólogos”, de acordo com o relatório de progresso do Plano de Poupança de Energia (PPE) 2022-2023, publicado pela Adene.

A redução registou-se com maior expressão na vertente de consumo convencional, com uma queda de 22,8%, enquanto na componente de consumo devido à produção de energia através das centrais termoelétricas foi registada uma diminuição de 14,7%.

A Adene realçou também que, no que diz respeito ao consumo de gás no setor dos centros comerciais, observou-se uma poupança de 40,1% no consumo acumulado de gás natural e de 12,3% no consumo de energia elétrica.

O relatório indica também que foram registados ganhos de eficiência hídrica, nomeadamente junto das Entidades Gestoras (EG) de serviços de água, com uma redução de 4,2% no consumo de energia médio por volume de água faturada (consumo acumulado de janeiro a junho de 2023).

“Importa destacar que a análise é apenas indicativa, com uma amostra que conta com respostas de 150 entidades, o que representa 62% do total nacional, ao nível do continente”, ressalvou a agência, acrescentando que, nos centros comerciais, registou-se uma poupança de 1,5% no consumo de água.

Adicionalmente, o relatório revela que a potência instalada por tecnologia fotovoltaica na Rede Nacional de Transporte de Eletricidade (RNT) está a 2,5% da meta traçada até ao final do ano 2023.

Relativamente às medidas implementadas no âmbito dos avisos do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), estas encontram-se a 41,2% da meta traçada até ao final do ano 2023, incluindo as medidas no âmbito do Programa de Apoio a Edifícios mais Sustentáveis e as medidas avaliadas no âmbito do aviso de Eficiência Energética em Edifícios da Administração Pública Central.

Segundo a Adene, no total, Portugal superou em 105,7% a meta estabelecida no PPE 2022-2023 até ao final de 2023 (17%).