twitter

Comprar casa em Portugal está mais caro 2,2% no segundo trimestre

Comprar casa em Portugal está mais caro 2,2% no segundo trimestre
Fotografia Lusa

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 03 de julho de 2023, às 12:30

Relatório trimestral de preços de venda.

Os preços das casas em Portugal subiram 2,2% no segundo trimestre do ano face ao trimestre anterior. Segundo o índice de preços do idealista, comprar casa tinha um custo de 2.536 euros por metro quadrado (euros/m2) no final do mês de junho deste ano, tendo em conta o valor mediano. Este é um cenário visível em quase todo o território português, já que as casas ficaram mais caras em 12 capitais de distrito, entre abril e junho, com Viana do Castelo a liderar as subidas (17,2%). Os preços das casas subiram em Lisboa (3,1%) e no Porto (2,4%) neste período. Já em relação à variação anual os preços das casas em Portugal subiram 6,5%.
 
Cidades capitais de distrito
No segundo trimestre, os preços das casas subiram em 12 capitais de distrito, com Viana do Castelo (17,2%), Vila Real (12,1%) e Faro (11%) a liderarem a lista. Seguem-se Évora (9,7%), Coimbra (6%), Funchal (3,6%), Lisboa (3,1%), Portalegre (2,9%), Setúbal (2,7%), Porto (2,4%), Viseu (1,2%) e Aveiro (0,9%).
 
Por outro lado, os preços desceram na Guarda (-7,4%), Ponta Delgada (-2,4%), Castelo Branco (-2,2%), Santarém (-1,7%), Bragança (-1,3%), Beja (-1,2%), Leiria (-0,9%) e Braga (-0,8%). 
 
Lisboa continua a ser a cidade onde é mais caro comprar casa: 5.351 euros por metro quadrado (euros/m2). Porto (3.413 euros/m2) e Funchal (2.943 euros/m2) ocupam o segundo e terceiro lugares, respetivamente. Seguem-se Faro (2.921 euros/m2), Aveiro (2.501 euros/m2), Setúbal (2.307 euros/m2), Évora (2.211 euros/m2), Viana do Castelo (1.850 euros/m2), Coimbra (1.843 euros/m2), Ponta Delgada (1.718 euros/m2), Braga (1.702 euros/m2), Vila Real (1.336 euros/m2), Viseu (1.334 euros/m2) e Leiria (1.309 euros/m2). Já as cidades mais económicas são Portalegre (717 euros/m2), Guarda (731 euros/m2), Castelo Branco (826 euros/m2), Bragança (867 euros/m2), Beja (934 euros/m2) e Santarém (1.098 euros/m2).
 
Distritos/Ilhas
As maiores subidas de preços tiveram lugar em Castelo Branco (12,9%), Beja (10%), Viana do Castelo (9,9%), Coimbra (8,3%) e Viseu (6,3%). 
 
Seguem-se Vila Real (5,1%), ilha da Madeira (4,2%), Porto (4,2%), ilha do Porto Santo (3,8%), ilha do Faial (3,6%), ilha Terceira (3,5%), Setúbal (3%), Portalegre (3%), Leiria (2,8%), Faro (2,3%), Bragança (1,5%), Lisboa (1,2%), ilha do Pico (1,2%), Santarém (1,1%) e Aveiro (0,9%).  Já em Braga (0,1%) e na ilha de São Miguel (-0,2%) os preços ficaram estáveis nesse período.
 
Por outro lado, os preços desceram em Évora (-23,7%), ilha de São Jorge (-6,4%) e Guarda (-2,4%). 
 
De referir que o ranking dos distritos mais caros para comprar casa é liderado por Lisboa (3.881 euros/m2), seguido por Faro (3.174 euros/m2), ilha da Madeira (2.570 euros/m2), Porto (2.503 euros/m2), Setúbal (2.399 euros/m2), ilha de Porto Santo (1.927 euros/m2), Aveiro (1.673 euros/m2), Braga (1.529 euros/m2), Leiria (1.515 euros/m2), ilha de São Miguel (1.509 euros/m2), Viana do Castelo (1.465 euros/m2), Évora (1.442 euros/m2), Coimbra (1.433 euros/m2), ilha do Pico (1.296 euros/m2), ilha do Faial (1.262 euros/m2), ilha de São Jorge (1.119 euros/m2) e ilha Terceira (1.109 euros/m2).
 
Os preços mais económicos encontram-se na Guarda (654 euros/m2), Portalegre (663 euros/m2), Castelo Branco (858 euros/m2), Bragança (876 euros/m2), Vila Real (975 euros/m2), Viseu (998 euros/m2), Beja (1.044 euros/m2) e Santarém (1.068 euros/m2).
 
Regiões
Durante o segundo trimestre de 2023, os preços das casas subiram em todas as regiões do país com exceção da Região Autónoma dos Açores (-1,2%) e Alentejo (-0,5%), onde os preços apresentaram descidas. A liderar as subidas, encontra-se a Região Autónoma da Madeira (4,2%), seguida pelo Centro (3,6%), Norte (3,1%) e Algarve (2,3%). Na Área Metropolitana de Lisboa (1,2%) foi onde os preços menos subiram durante este período.
 
A Área Metropolitana de Lisboa, com 3.507 euros/m2, continua a ser a região mais cara para adquirir habitação, seguida pelo Algarve (3.174 euros/m2), Região Autónoma da Madeira (2.560 euros/m2) e Norte (2.119 euros/m2). Do lado oposto da tabela encontram-se a Região Autónoma dos Açores (1.358 euros/m2), o Centro (1.403 euros/m2) e o Alentejo (1.523 euros/m2) que são as regiões mais baratas para comprar casa.
 
Índice de preços imobiliários do idealista
Para a realização do índice de preços imobiliários do idealista, são analisados ​​os preços de oferta (com base nos metros quadrados construídos) publicados pelos anunciantes do idealista. São eliminados da estatística anúncios atípicos e com preços fora de mercado.
Incluímos ainda a tipologia “moradias unifamiliares” e descartamos todos os anúncios que se encontram na nossa base de dados e que estão há algum tempo sem qualquer tipo de interação pelos utilizadores. O resultado final é obtido através da mediana de todos os anúncios válidos de cada mercado.