twitter

Israel: Estudante portuguesa dada como desaparecida encontrada morta

Israel: Estudante portuguesa dada como desaparecida encontrada morta
Fotografia Lusa

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 11 de outubro de 2023, às 08:54

Uma portuguesa de 25 anos que estudava em Telavive e que foi dada como desaparecida após o ataque do Hamas contra Israel, no sábado, foi encontrada morta esta terça-feira, adiantou a agência Associated Press (AP).

 

Rotem Neumann estava desaparecida há pelo menos três dias quando seu corpo foi encontrado.

A sua morte foi confirmada por seu primo, Tomer Neumann, acrescentou a AP.

Esta jovem com nacionalidade portuguesa estava no festival Teva, evento de música perto da fronteira com Gaza que foi invadido por militantes na madrugada de sábado.

Tomer Neumann, que mora em Bat Yam, uma cidade a sul de Telavive, tinha referido anteriormente à AP que a sua prima ligou para os pais desde o festival quando ouvir disparos de foguetes.

A jovem entrou num carro com amigos, de acordo com testemunhas, mas fugiu quando encontraram camiões cheios de militantes.

Mais tarde, o telefone de Rotem Neumann foi encontrado perto de um abrigo de cimento.

O ataque do Hamas levantou incerteza sobre muitas famílias, que desconhecem se os seus familiares foram mortos, levados como reféns do Hamas ou se escaparam e estão em fuga.

Um primeiro grupo, de 80 pessoas, das quase duas centenas que sinalizaram às autoridades portuguesas que queriam sair de Israel, chegou a Larnaca, no Chipre, esta terça-feira de manhã, a bordo da aeronave C-130 da Força Aérea Portuguesa, tinha anunciado o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) em comunicado.

O próximo voo do C-130 para Israel estava previsto para esta terça-feira à noite, para o transporte de um novo grupo de portugueses para a cidade cipriota”, adiantou ainda a diplomacia portuguesa.

De acordo com a mesma nota, estava previsto para esta terça-feira à noite que um voo da TAP, fretado pelo Estado português saísse de Larnaca, na noite de hoje, com destino a Portugal prevendo-se que chegue hoje a Lisboa.

O MNE alertou também, no comunicado, que “as complexas condições de operação em território israelita, podem obrigar a alterações nos planos de voo”, as quais estão a ser permanentemente comunicadas aos cidadãos sinalizados para esta missão, que está a ser operacionalizada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo Ministério da Defesa Nacional.

A diplomacia portuguesa tinha informado anteriormente que “o atendimento no Gabinete de Emergência Consular foi reforçado”, sublinhando que “os contactos devem apenas ser feitos para estes números - +351217929714 / +351961706472 (chamadas telefónicas regulares) ou através do e-mail [email protected]”.

O grupo islâmico palestiniano Hamas lançou no sábado um ataque surpresa contra o território israelita, sob o nome de operação “Tempestade al-Aqsa”, com o lançamento de milhares de foguetes e a incursão de milicianos armados por terra, mar e ar.

Em resposta ao ataque surpresa, Israel bombardeou a partir do ar várias instalações do Hamas na Faixa de Gaza, numa operação que batizou como “Espadas de Ferro”.

Durante a incursão em território israelita, o Hamas fez mais de uma centena de reféns, civis e militares, que levou para a Faixa de Gaza.

A resposta militar de Israel, que declarou guerra ao Hamas após o ataque, causou a morte de mais de 900 pessoas em Gaza, de acordo com os balanços mais recentes.

Do lado israelita, uma alta patente militar avançou que o número de mortos ultrapassou os mil.