twitter

Presidente da FP Canoagem acusa «altas figuras do Estado» de fomentarem «monocultura desportiva»

Presidente da FP Canoagem acusa «altas figuras do Estado» de fomentarem «monocultura desportiva»
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 04 de agosto de 2023, às 20:04

Vítor Félix exemplificou com a nova receção à seleção feminina pelo presidente da República.

O presidente da Federação Portuguesa de Canoagem (FPC), Vítor Félix, responsabilizou hoje as “mais altas figuras do Estado” pela “monocultura desportiva” do país em torno do futebol, exemplificando com nova receção à seleção feminina pelo presidente da República.

“Este tipo de comportamento permite afirmar que são as mais altas figuras do Estado que promovem e fomentam a monocultura desportiva. (…) Esta receção já tinha sido feita no momento do apuramento, e volta a ser repetida sem que nenhum resultado desportivo tenha sido alcançado”, apontou o dirigente, em mensagem nas redes sociais.

Vítor Félix enalteceu o trabalho da formação liderada pelo “amigo” Francisco Neto, deu os “parabéns” à equipa e à federação, contudo disse não compreender a diferença de tratamento para com desportistas com igual empenho e até desempenhos mais significativos, como pódios em importantes provas internacionais.

“Não se trata de inveja ou carpideira, não é ciúme ou ladainha, trata-se de exigir semelhante reconhecimento ao mérito de atletas ou equipas nacionais que representam o nosso país a um nível bastante elevado e fazem ouvir o hino nacional numa qualquer instalação desportiva”, vincou.

Para ilustrar o seu inconformismo, o dirigente exemplificou com o feito de Diogo Ribeiro, vice-campeão do mundo de natação, o título mundial júnior de triatlo de João Batista, a seleção de hóquei patins que foi vice-campeã da Europa e mais resultados em diversas modalidades, incluindo as 16 medalhas da missão de Portugal aos Jogos Europeus Cracóvia2023, bem como os sucessivos pódios que a sua canoagem tem conquistado ao longo da última década.

Neste tratamento diferenciado, o presidente da FPC iliba os desportistas, enaltecendo o “orgulho” que a seleção de futebol feminina instigou aos portugueses, augurando-lhes um “futuro promissor”.

A formação das ‘quinas’ regressou da Nova Zelândia onde fez a sua estreia em Mundiais, marcada pelo empate 0-0 ante os Estados Unidos, bicampeões do mundo, a derrota 1-0 com a ‘vice’ Países Baixos e o triunfo por 2-0 sobre o Vietname