Fotografia: DM

D. Nuno Almeida alerta para ameaças à Família motivadas pela «cultura do provisório»

Bispo auxiliar de Braga presidiu à procissão e missa diocesana do X Encontro Mundial das Famílias.

Jorge Oliveira
26 Jun 2022

O bispo auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, aludiu hoje para a necessidade de se defender a família com os valores fundados na matriz cristã, notando que atualmente há muitos laços familiares «frágeis», famílias divididas e casais que se separam.

O prelado deixou este alerta na Eucaristia a que presidiu no santuário do Sameiro, a propósito do X Encontro Mundial das Famílias, que terminou hoje no Vaticano.

«A vocação ao matrimónio não se refere a relacionamentos fugazes, que se ligam e desligam, mas a relacionamentos fundados sobre a estabilidade, a fidelidade e a indissolubilidade. Constatamos como tudo isto está em contradição com a cultura atual alicerçada sobre a desconstrução, a instabilidade e fundada na cultura do provisório», referiu D. Nuno Almeida.

A Arquidiocese de Braga promoveu hoje um encontro de famílias no Sameiro em sintonia com o Papa, em Roma, e com famílias de todo o mundo, organizado pelo Departamento Arquidiocesano da Pastoral Familiar.

Na missa, que inclui a bênção de casais a celebrar as bodas matrimoniais, participaram algumas centenas de famílias provenientes de todos os Arciprestados da Arquidiocese. 

O bispo diocesano, depois de pedir a Deus que abençoe e proteja as famílias da Arquidiocese e todas as famílias do mundo, desafiou a seguir as propostas do Papa Francisco lançadas neste Encontro Mundial que se realizou com o lema “O amor familiar: vocação e via da santidade”.

No início da missa, concelebrada na Cripta pelo reitor do santuário do Sameiro, o padre Delfim Coelho, e pelo padre Paulo Duarte, s.j, D. Nuno Almeida transmitiu à famílias presentes uma saudação do Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, que não pôde estar presente no Sameiro dado que nesse momento estava a presidir a uma celebração do Crisma na Póvoa de Varzim.

O Arcebispo, na sua mensagem, além de se congratular com este encontro, organizado pelo Departamento Arquidiocesano da Pastoral Familiar, saudou todas as famílias da Arquidiocese, especialmente os casais que celebraram bodas matrimoniais.

Este encontro iniciou-se com uma procissão, entre a estátua de S. João Paulo II e a Cripta, que ficou marcada por um incidente lamentável. A imagem peregrina da Senhora do Sameiro, quando era levada para dentro da Cripta tocou na parte superior da entrada e caiu, acabando por se desfazer. Os restos foram de imediato removidos do chão e guardados. Um momento desolador que provocou consternação. 

 





Notícias relacionadas


Scroll Up