Fotografia: DR

Movimento civil quer mudar o nome ao Parque Nacional da Peneda Gerês

Factos geográficos e históricos

Nuno Cerqueira
18 Ago 2020

O movimento “Soajeiros para as Restaurações das Verdades” quer mudar o nome ao Parque Nacional Peneda-Gerês (PNPG).

O objetivo é que o PNPG se passe a chamar Parque Nacional Soajo-Gerês afirmando que é uma questão de «justiça, história e de interesse municipal».

Manuel Afonso, através de uma rede social, apresenta várias cópias de diversos e seculares documentos (ver aqui) que alimentam a correção do nome para Parque Nacional do Soajo-Gerês.

Um dos dirigentes do movimento, Jorge Lage, tem lutado por repor a verdade em muitos “atentados geográficos e históricos” e cita Hermann Lautensach, autor da primeira Geografia de Portugal de caráter científico e da Bibliografia Geográfica de Portugal, publicada em 1948.

Nas suas investigações, Lage conclui, através dos estudos do Padre José Amado (1874, Antiguidades da Lusitânia), apoiado pelos escritos quinhentistas de André de Resende (1573), que entre as 12 Serras escritas a romano, a norte do rio Douro apenas constam Suaium (Soajo) e Iuressum (Gerês).

«A serra da Peneda não existe, mas antes sim a montanha do Pedrinho», afirma Lage, destacando que com as celebrações da Nossa Senhora da Peneda conseguiu destaque, retirando a razão geográfica e histórica a Soajo.





Notícias relacionadas


Scroll Up