Fotografia: Avelino Lima
D. Jorge Ortiga apela à mobilização contra a eutanásia

Arcebispo de Braga realça que os cuidados paliativos «são a única resposta para garantir uma morte digna»

Jorge Oliveira
8 Fev 2020

O Arcebispo Primaz de Braga manifestou-se hoje contra a despenalização da eutanásia, sustentando que a vida «é inviolável» e os cuidados paliativos «são a única resposta para garantir uma morte digna», e pediu aos cristãos que não se alheem do que acontecerá no Parlamento no próximo dia 20 de fevereiro.

«Em Portugal estamos a viver mais um momento histórico. Não podemos permitir que alguns deputados queiram decidir por nós, quando não apresentaram o assunto da eutanásia nos seus programas eleitorais», disse D. Jorge Ortiga durante uma visita ao Centro de Acolhimento “O Poverello”, a única unidade de cuidados paliativos existente no distrito de Braga, situada junto ao Convento de Montariol, em Braga.

A Assembleia da República agendou para 20 de fevereiro o debate e votação de quatro projetos de lei com vista à legalização da eutanásia, apresentados pelo PS, Bloco de Esquerda, PAN e pelo partido ecologista Os Verdes.

Nesta visita, a propósito do Dia Mundial do Doente, o Arcebispo de Braga desafiou os cristãos a expressarem o que sentem em relação à eutanásia e a exigirem uma rede de Cuidados Continuados e Paliativos, onde possa ser oferecida uma «verdadeira “terapia da dignidade”».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up