twitter

Parretas Team Boxee… o 3 de dezembro

Integrado na Braga CED, decorreu nas instalações do Museu D. Diogo de Sousa um seminário cujo tema foi – “Os jovens e o desporto”. Com percurso profissional que os credibiliza, ouvimos Beatriz Pereira, Jorge Silvério e José Barros explicitar o que deve ser proporcionado aos nossos jovens, sendo atletas ou não, desde o ventre materno até à idade adulta, para uma vida… de alto rendimento. Depois, o programa anunciava apenas: Experiências e testemunhos de representantes do associativismo regional. E, quando menos esperávamos, os palestrantes que se seguiram, com distintos percursos de vida nas áreas que decidiram (ou foram levados a) abraçar, prenderam por completo a atenção da assistência presente, devido à premência dos temas abordados. Manuel Vieira, presidente e jogador (de basquetebol de cadeira de rodas) da APD Braga, falou sobre as dificuldades, financeiras e não só, sentidas e sofridas para colocar em pé um projeto vencedor, com inúmeros títulos nacionais que orgulham, o município e a região. Aproveitou também para alertar o que vivem, todos os 3 de dezembro (dia internacional das pessoas com deficiência) com as inúmeras solicitações para marcar presença em diferentes eventos. Relembrou que, PARA ELES, o 3 de dezembro acontece 365 dias por ano (quando o ano não é bissexto – digo eu) pelo que era bom que todos o percebessem, quer nos pedidos, quer nos apoios que podem prestar. Por fim, surgiu um novo palestrante (aliás dois) com um par de luvas de boxe, em representação da associação de moradores das Parretas. Nos últimos anos o aparecimento desta associação, além de outras valências, permitiu abrir um espaço multifuncional que serve para diferentes atividades desportivas, sendo o boxe, a menina dos olhos do seu responsável máximo, ex-praticante da modalidade. Por isso mesmo, é também através desta modalidade que ele tira crianças da rua, educando-os pelo desporto para adquirirem valores para a vida. Depois de uma pequena exemplificação prática da modalidade, em palco, com um dos seus pupilos, decidi que teria de conhecer, ao vivo e a cores, o local de treino, o que fiz na passada segunda-feira. Após profícua conversa, percebi que o Pedro Pereira, presidente da associação de moradores, que treina graciosamente estas crianças e os leva a participar em competições, tem um sonho MAIOR. Ele gostaria de ter no seu espaço, lúdico e de treino, condições para que as crianças aí pudessem estudar, treinar, tomar banho, e no final usufruírem de um pequeno lanche antes de irem para casa. Para muitas crianças do nosso país, isto é banal, mas para muitos daqueles com quem o Pedro lida, parafraseando o Manuel Vieira, é uma espécie de “3 de dezembro”. A pergunta final que apetece fazer é: Quem está disposto a colaborar para que haja muitos 3 de dezembro para aqueles que o Pedro e o Manuel representaram neste seminário?
Autor: Carlos Mangas
DM

DM

30 novembro 2018