twitter

O que fazer caso alguém se engasgue

A obstrução da via aérea (OVA) ocorre frequentemente por engasgamento, podendo ser parcial ou total. Quando se trata de uma obstrução parcial a pessoa consegue tossir, falar e respirar, mas com ruído – nesta situação deve-se manter a vigilância e encorajar a pessoa a tossir e a manter a calma, sem interferir fisicamente até que a situação fique resolvida. Se a pessoa deixar de conseguir tossir, aí atua-se como se de uma obstrução total se tratasse. Quando estamos perante uma obstrução total, não existe passagem de ar, a pessoa não respira, não fala, não tosse e mostra-se muito ansiosa e agitada, realizando na maioria das vezes o sinal universal de OVA (colocando as duas mãos cruzadas junto do pescoço). Nesta situação temos de agir rapidamente para a obstrução não resultar em morte. Se tiver alguém por perto, pedir para essa pessoa ligar 112 enquanto inicia manobras. Se não houver ninguém por perto, iniciar de imediato o auxílio à vítima. Deve começar por tentar desimpedir a via aérea através de 5 pancadas interescapulares: colocar-se ao lado e ligeiramente por detrás da vítima; suportar o corpo da vítima ao nível do tórax com uma mão, mantendo-a inclinada para a frente, numa posição tal, que se algum objeto for deslocado com as pancadas, possa sair livremente pela boca; aplicar pancadas com a base da outra mão, na parte superior das costas, ao meio, entre as omoplatas. Se a obstrução da via aérea não ficar resolvida com as pancadas interescapulares deve passar à aplicação de compressões abdominais, a chamada Manobra de Heimlich: coloque-se por trás da vítima, pondo os braços à volta ao nível da cintura e a sua perna entre as dela; feche uma das mãos, em punho, e coloque-a com o polegar no abdómen da vítima, um pouco acima do umbigo; agarre o punho da mão colocada anteriormente e puxe; faça-o com um movimento rápido e vigoroso, para dentro e para cima na sua direção. Repita este movimento até 5 vezes, vigiando se ocorre a resolução da obstrução e avaliando o estado de consciência da vítima. Estas manobras são iguais para adultos ou crianças, excetuando em bebés até 1 ano em que se atua de forma diferente: se o bebé estiver consciente, segure-o de barriga para baixo, apoiando o tórax no seu antebraço, com a cabeça mais baixa que o corpo; dê até 5 pancadas nas costas, a meio dos ombros; se não conseguir remover o corpo estranho, deite o bebé de barriga para cima mantendo igualmente a cabeça a um nível inferior ao do corpo; faça até 5 compressões torácicas, após as quais inspecione a boca e se tiver algum objeto visível retire-o. Com qualquer idade mantenha as manobras intercaladas (5 de cada) até resolver a situação (a pessoa sujeita a estas manobras, após a resolução da situação, deve ser sempre avaliada no hospital). Se em algum momento a pessoa ficar inconsciente ligue 112, informe da situação, responda às perguntas e siga as instruções do operador. O conhecimento destas manobras pode salvar vidas.
Autor: Andreia Filipa Lopes Fernandes
DM

DM

1 fevereiro 2018