twitter

Não nos cansemos

«Não nos cansemos de fazer o bem» é o tema da mensagem do Papa Francisco para a Quaresma que ontem principiou.

Pode ser um bom programa de vida para todo o ano: não nos cansarmos de fazer o bem e de o fazermos bem. Onde e em relação seja a quem for. Como o mundo seria (será) diferente se tal for realidade!

Escreve o Papa, num texto de que, para o tornar mais leve, extraio as citações:

1. Não nos cansemos de rezar. Jesus ensinou que é necessário «orar sempre, sem desfalecer».

Precisamos de rezar, porque necessitamos de Deus. A ilusão de nos bastar a nós mesmos é perigosa. Se a pandemia nos fez sentir de perto a nossa fragilidade pessoal e social, permita-nos esta Quaresma experimentar o conforto da fé em Deus, sem a qual não poderemos subsistir.

No meio das tempestades da história, encontramo-nos todos no mesmo barco, pelo que ninguém se salva sozinho; mas sobretudo ninguém se salva sem Deus, porque só o mistério pascal de Jesus Cristo nos dá a vitória sobre as vagas tenebrosas da morte.

A fé não nos preserva das tribulações da vida, mas permite atravessá-las unidos a Deus em Cristo, com a grande esperança que não desilude e cujo penhor é o amor que Deus derramou nos nossos corações por meio do Espírito Santo.

2. Não nos cansemos de extirpar o mal da nossa vida.

Possa o jejum corporal, a que nos chama a Quaresma, fortalecer o nosso espírito para o combate contra o pecado.

Não nos cansemos de pedir perdão no sacramento da Penitência e Reconciliação, sabendo que Deus nunca Se cansa de perdoar.

Não nos cansemos de combater a concupiscência, fragilidade esta que inclina para o egoísmo e todo o mal, encontrando no decurso dos séculos vias diferentes para fazer precipitar o homem no pecado.

Uma destas vias é a dependência dos meios de comunicação digitais, que empobrece as relações humanas.

A Quaresma é tempo propício para contrastar estas ciladas, cultivando ao contrário uma comunicação humana mais integral, feita de «encontros reais», face a face.

3. Não nos cansemos de fazer o bem, através duma operosa caridade para com o próximo.

Durante esta Quaresma, exercitemo-nos na prática da esmola, dando com alegria.

Deus, que dá a semente ao semeador e o pão em alimento», provê a cada um de nós os recursos necessários para nos nutrirmos e ainda para sermos generosos na prática do bem para com os outros.

Se é verdade que toda a nossa vida é tempo para semear o bem, aproveitemos de modo particular esta Quaresma para cuidar de quem está próximo de nós, para nos aproximarmos dos irmãos e irmãs que se encontram feridos na margem da estrada da vida.

A Quaresma é tempo propício para procurar, e não evitar, quem passa necessidade; para chamar, e não ignorar, quem deseja atenção e uma boa palavra; para visitar, e não abandonar, quem sofre a solidão.

Acolhamos o apelo a praticar o bem para com todos, reservando tempo para amar os mais pequenos e indefesos, os abandonados e desprezados, os discriminados e marginalizados.


Autor: Silva Araújo
DM

DM

3 março 2022