twitter

Empates e empatas

O último fim de semana ficou com o registo de várias igualdades, umas com melhor sabor do que outras, nas equipas de futebol do SC Braga. Mas, vamos por partes aos empates registados, num tempo de alguns “empatas” bracarenses.

A primeira igualdade, a um golo, aconteceu em Fão, com a equipa B a receber o S. João de Ver e a festejar esse empate como se de uma vitória se tratasse. Afinal, estava garantido o apuramento para a fase de subida à segunda liga, onde vão as melhores equipas, e a competição será, por certo, mais exigente, o que ajuda ao crescimento dos jovens de Artur Jorge.

O segundo jogo empatado, pelos números do anterior, aconteceu quase em simultâneo pela equipa Sub 19 que assim travou a fundo, frente ao Alverca, na campanha meritória nesta fase de apuramento de campeão.

Talvez esteja na hora de o grupo reforçar a ambição de lutar pelo título, sem aumentar a pressão, mas a querer voar mais alto, o que só fará bem a todos. As contas fazem-se no fim e nessa altura ver-se-á se a ambição foi ou não desmedida. Quero acreditar que esta equipa, que já mostrou bons momentos, só pode desejar fazer melhor a cada dia que passa.

O terceiro empate, novamente a um golo, foi da equipa principal, pouco tempo depois dos anteriores, no Bessa, frente ao Boavista. À semelhança dos outros empates, também aqui os bracarenses estiveram na frente do marcador, com mais um golo de Ricardo Horta, mas os axadrezados igualaram no reinício do jogo e até ao fim esse resultado prevaleceu, ainda que os comandados de Carlos Carvalhal se lamentem de terem falhado duas chances de “bolinha vermelha”, transformadas em quatro por serem duplas em cada lance. Ora, a alta competição não se compadece com falhanços assim, pois são os golos que ditam as leis nos resultados e este foi de facto demasiado penalizador. Que essa eficácia regresse nos próximos jogos é o desejo de todos os braguistas e, acredito, da equipa também.

Depois de um sábado de igualdades de sabores díspares, a manhã de domingo trouxe mais um empate a um golo da equipa de Sub 17. Porém, este empate deve ver-se como positivo porque garantiu o apuramento da equipa para a fase de apuramento de campeão, onde o valor dos comandados de Pedro Pires permite acalentar esperanças de um desempenho de excelência.

O conjunto de igualdades foi interrompido, de modo feliz, pela equipa de Sub 15, que bateu de modo concludente o velho rival, Vitória SC, por 3-0. Este resultado é muito importante para o apuramento arsenalista para a fase de apuramento de campeão, onde a presença é vista pelo grupo como algo mais do que um desejo.

Hoje é dia de Liga Europa e de visita ilustre do AS Monaco à Pedreira. Ora, um adversário tão valioso exige verdadeiros Gverreiros em campo, de modo a alimentar a esperança de conseguir um resultado que permita que o Minho se mantenha em prova a nível europeu.

Desafio todos os adeptos a marcarem presença, pois este é um prato que raramente se serve no “restaurante de Carvalhal” e merece ser devidamente apreciado. A fase adiantada nesta Liga Europa não recomenda erros, tanto defensivos como ofensivos, pois acredito que a eliminatória, em condições normais, se decida nos detalhes.

Que Braga volte a viver mais uma grande noite europeia e o prestígio internacional da sua principal equipa saia reforçado nestes oitavos de final. Assim, que role a bola, de modo redondinho, e com vontade indomável de a equipa querer ser feliz.


Autor: António Costa
DM

DM

10 março 2022