twitter

E SEGUE TUDO IGUAL

Há cerca de dois anos foi anunciado pelos Clubes a aprovação de um novo modelo de governação da Liga Portugal e um pacto de não-agressão entre Clubes, face ao estado decadente a que tinha chegado o futebol em Portugal. Na mesma altura dei o meu contributo, através da apresentação de uma série de medidas que penso serem necessárias para o bom funcionamento das Instituições que gerem o futebol. Tal aprovação do novo modelo implicava a realização de eleições para a Liga num prazo curto. Desde essa altura até à data de hoje, mais uma vez, nada se alterou. Os Clubes continuaram a agredir-se, a criticar constantemente as arbitragens, as cenas deploráveis de algumas equipas técnicas e respectivos staffs aumentaram, a falta de transparência e os indícios de vários crimes continuaram. Enfim, mais do mesmo. A principal questão que se coloca e que todos devemos refletir é a seguinte. Até quando isto se vai manter? A resposta é simples. Até quando os sócios/adeptos dos Clubes assim o entenderem. O sistema corrosivo que está entranhado no futebol dá sinais que está a ruir. As pessoas sentem e têm vontade de mudança. O que muitos dirigentes fizeram de bom no passado foi suplantado pelo que de mal têm feito nos últimos anos. Os adeptos querem : usufruir do espectáculo com as famílias; paz no futebol; igualdade no tratamento.; elevação; FairPlay; dirigentes competentes e honestos ; e sobretudo que que os principais protagonistas sejam um exemplo para os mais jovens. O futebol português tem um enorme potencial de desenvolvimento e crescimento e já ontem era tarde para se começar a mudar.
Autor: João Gomes
DM

DM

10 março 2022