twitter

Os Seminários são os lançadores de sementes que frutificam a Igreja (13)

Os títulos destas minhas últimas crónicas elucidam, nestas poucas palavras, a formação ministrada a todos os alunos que têm a honra de passar por estas escolas que semeiam valores em que os seus frutos são visíveis, de uma maneira geral, nos meios em que vivemos. Frutificar a Igreja é alentar a sociedade, pois a Igreja somos todos nós e quanto mais Igreja formos melhor será o funcionamento desta orgânica que a humanidade detém, mas que tanto precisa e precisará destes ensinamentos ou de outros semelhantes para que a verdadeira sabedoria seja a luz do seu caminhar.

 Os valores que se adquirem no Seminário e em tantas outras escolas, felizmente, são o antídoto da guerra, do ódio, do orgulho, da vaidade, da desumanidade, da desonestidade, do poder sem limites, do desrespeito da pessoa humana, da presunção e de destruidoras ervas daninhas que vão crescendo, originando tantas agruras que presenciamos todos os dias neste nosso mundo. Precisamos de uma sociedade que cultive os valores Cristãos neste nosso terreno que deveria ser um oásis em que todos pudéssemos viver com alegria e paz em todos os setores da vida. 

 Vou continuar a falar da formação no Seminário Conciliar de São Pedro e São Paulo e lendo o anuário, neste caso, do ano letivo 2022/2023, verifico as inúmeras atividades extracurriculares programadas ao longo de todos os meses, tudo no sentido de lançar os alunos para uma cidadania plena com dinâmicas de motivação e aprendizagem, convívios com as famílias, grandes momentos de oração, encontros de espiritualidade, encontros com as equipas formadoras, orientadores de estágio e restante hierarquia, solenização dos dias festivos, retiros, congressos, celebrações penitenciais, vários encontros natalícios com o clero, com as famílias e restante equipa formadora, saraus culturais com teatro, música, poesia, tertúlias…participação nas cerimónias na Catedral, em igrejas de Braga e de outras paróquias da Diocese e não só, nas procissões, nos encontros frequentes com o Sr. Dom José Cordeiro e tantas outras atividades que poderia ainda elencar.

 Toda essa dinâmica vai ao encontro do espírito da verdadeira preparação dos jovens que se preparam para o sacerdócio com o propósito de evangelizar, levar a Boa Nova a comunidades com caraterísticas diversas, respondendo a desafios constantes, adaptando-se a novas realidades para que alarguem e tornem atrativo o caminho que conduz a Cristo, sendo semeadores e construtores da justiça e da paz. Para isso, é muito importante preparar os jovens para a transversalidade da vida comunitária, centrados num processo formativo que abarque as variadas dimensões sociais, numa atitude de interação, no sentido de cultivar neles uma forma de integração comunitária, assumindo «gradualmente a capacidade de dar e receber, a correção fraterna, superando-se, assim, o individualismo e o isolamento.»

 Para trabalhar a vertente anterior, existem: o grupo da pastoral litúrgica em que está inserida a equipa da música que prepara e ensaia os cânticos para o serviço da comunidade; o grupo dos tempos fortes tendo em conta os períodos natalício, pascal e outros; o grupo dos espaços litúrgicos, preparando os locais e a dinamização da oração comunitária; a equipa da Sacristia que prepara as celebrações litúrgicas; os grupos da pastoral da animação, da pastoral da cultura e os movimentos apostólicos. Na pastoral da animação está inserido o Grupo de Teatro de S. João Bosco que fomenta a interajuda e o desenvolvimento das relações pessoais. «No teatro não há espaço para o egoísmo, apenas a promoção do espírito solidário e do trabalho em equipa»; o grupo do Bar que existe para o convívio em que uns trabalham, outros usufruem desse trabalho, mas sempre numa interação constante e de partilha. «O equilíbrio entre o corpo e a mente é fundamental para respondermos aos desafios, aos compromissos, e aos sonhos que fazem parte do nosso quotidiano;» o grupo do Desporto é de suma importância para a saúde física e mental; o Grupo de Cantares fomenta, na comunidade, momentos de alegria e de lazer; a Revista do Cenáculo dos alunos de Teologia, onde se podem ler temas relevantes, inserindo-se na pastoral da cultura; a equipa de comunicação procurando trabalhar na divulgação e registo de atividades mais importantes, por exemplo, a publicação do Jornal Voz da Esperança dos Seminários Arquidiocesanos; a equipa da Biblioteca realiza todo o trabalho inerente a esta área e, por fim, os movimentos apostólicos onde se insere a Conferência de São Vicente de Paulo que pratica a caridade e dá alento a todos os que mais precisam nas dioceses de Barga e de Viana do Castelo. A Legião de Maria e o Escutismo são também movimentos de grande importância na vida da comunidade.

Salvador de Sousa

Salvador de Sousa

27 outubro 2023