twitter

Descontos profícuos

Alguns dos últimos jogos do SC Braga têm sido decididos no tempo adicional concedido pelos árbitros nas partidas realizadas, a que habitualmente chamamos de período de descontos.

O SC Braga começou por provar desse “veneno” na partida inaugural da liga portuguesa, quando o Famalicão chegou ao triunfo no tempo extra, de modo inesperado, deixando tristes as muitas almas braguistas presentes na Pedreira. Estava consumado um insucesso que mais tarde poderemos lamentar profundamente.

Em Moreira de Cónegos, o triunfo referente à terceira jornada, que tinha sido adiado devido à disputa do acesso à Liga dos Campeões, só chegou em tempo extra, pela cabeça de Al Musrati, o que proporcionou uma vitória muito festejada. 

Na Amadora o resultado foi selado a meio do alargado período adicional concedido por Ricardo Horta, que dessa forma sossegou as inquietas almas braguistas devido à incerteza no resultado. Estava garantida uma animada viagem de regresso, face às boas perspetivas abertas ao nível da luta pelos lugares cimeiros.

A segunda jornada da Champions League apenas foi decidida no limite do tempo extra concedido pelo árbitro, quando André Castro marcou o golo de um triunfo que representou a primeira reviravolta portuguesa de uma desvantagem de dois golos nesta competição, o que levou à alegria plena dos braguistas e à estupefação geral dos alemães, que viram fugir um triunfo que chegou a parecer certo.

A receção ao Rio Ave, para a liga portuguesa, permitiu um guião que ninguém imaginaria à partida, em função dos contextos atuais diferenciados das duas equipas, com os rioavistas a viverem um momento bastante delicado, sem vencer desde a jornada inaugural e vindos de uma goleada caseira (0x4), e os brácaros vindos de uma vitória épica conquistada em Berlim, onde silenciou os setenta mil germânicos presentes no Estádio Olímpico. Contudo, o futebol é o momento e isso ficou bem vincado no encontro da Pedreira, onde o sofrimento foi imenso para chegar ao triunfo final.

Os vilacondenses chegaram cedo à vantagem, ainda antes dos cinco minutos, pelo que havia margem temporal suficiente para não entrar em pânico e buscar a vitória. Porém, a ineficácia bracarense, aliada à boa prestação defensiva adversária e à forma como procuravam enervar o rival, permitiram que o cronómetro seguisse viagem até ao minuto noventa sem alteração do marcador e foi a seguir que Roger fez duas assistências, uma pelo pé esquerdo e outra pelo direito, permitindo que Banza empatasse no primeiro minuto de tempo extra e Abel Ruiz selasse o triunfo ao sexto minuto desse período, levando à loucura a Legião do Minho, explodindo as bancadas de um alívio que ameaçava não chegar. Após o fim do jogo foram várias as pessoas que ficaram no seu lugar numa espécie de descompressão final pelas emoções vividas.

Assim, os descontos têm sido profícuos para o SC Braga que tem demonstrado uma crença que não se pode perder, uma vez que apenas o último apito do árbitro termina as partidas de futebol. Afinal, um Gverreiro nunca desiste de buscar o sucesso, mesmo que as dificuldades sejam elevadas.

António Costa

António Costa

12 outubro 2023