twitter

Assembleia do Clero de Braga refletiu sobre vocação presbiteral e futuro do seminário

Assembleia do Clero de Braga refletiu sobre vocação presbiteral e futuro do seminário
Fotografia DM

Redação

Publicado em 18 de outubro de 2023, às 11:15

Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, esteve presente e participou nos trabalhos

O clero da Arquidiocese de Braga reuniu-se ontem em assembleia tendo por tema central “Da Alegria do Chamamento à Alegria de Chamar”. Os trabalhos, que decorreram no Espaço Vita, em Braga, com a presença do Arcebispo Metropolita de Braga, D. José Cordeiro, e do seu Bispo Auxiliar, D. Delfim Gomes, tiveram três grandes objetivos.

Segundo explicou o Cónego Manuel Joaquim, do Conselho Presbiteral, esta assembleia visou refletir sobre a dimensão vocacional dos sacerdotes e da sua pastoral, e repensar, com o Arcebispo de Braga, o Seminário, em particular, o Seminário Menor. «Queremos perspetivar caminhos por discernimento vocacional em vista do sacerdócio ministerial», disse. Esta assembleia visou ainda proporcionar o encontro «desta família presbiteral que somos», sendo este «momento para sentir intensamente o tema» central desta iniciativa, salientou ainda. D. José Cordeiro, no momento de oração e adoração ao Santíssimo, que iniciou esta assembleia, digindo-se aos sacerdotes lembrou que as mãos dos sacerdotes foram ungidas para a missão da alegria no serviço do Evangelho da Esperança.

«Todos somos necessários na Evangelização de levar Jesus a todos e todos a Jesus. Não podemos enfrentar os desafios de hoje com respostas de ontem, especialmente com os jovens», disse. Segundo o prelado, a vocação e a missão andam juntas, e, o clero, imerso em Deus, é chamado à felicidade. «Sim à felicidade, isto é, à santidade. Mas atenção porque não há vocações para a mediocridade e não nos iludamos, pois se a santidade é simples, ela não está em saldo; é exigente», vincou.

Segundo D. José Cordeiro, a Igreja em Braga «precisa de novos evangelizadores para a sinodalidade». «O Seminário e as casas de formação são comunidades educativas para o seguimento de Jesus, qual escola do evangelho da vocação. Precisamos de discípulos missionários. Quem acredita é chamado para a Missão», acrescentou. Na sua intervenção, o Arcebispo de Braga salientou que a «vocação nasce da invocação, segundo o mandato de Jesus». «A nossa oração tem de ser paciente na esperança. Rezar transforma.

Cada pessoa torna-se no que reza, no que contempla com os olhos do coração. Se não há oração não pode haver fé e menos ainda vocação ao seguimento de Cristo. É preciso rezar, pedir e confiar. Só quem reza pode ser discípulo missionário», salientou. O prelado dirigiu também as suas palavras aos diáconos presentes nesta assembleia.

 «Caros Diáconos, encorajo-vos no serviço que realizais nas Paróquias e Unidades Pastorais em que fostes constituídos membros da Equipa pastoral para servir na caridade, na Palavra e na Liturgia», disse D. José Cordeiro na sua reflexão na Assembleia do Clero.