twitter

Teatro Diogo Bernardes reabre em setembro para comemorar 124 anos

Teatro Diogo Bernardes reabre em setembro para comemorar 124 anos
Fotografia

Publicado em 14 de agosto de 2020, às 16:17

Márcia e João Pedro Pais dão concertos nos dias 18 e 19.

O Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, reabre portas em setembro, coincidido com o aniversário dos 124 anos da sala de espetáculos e com programação definida para últimos quatro meses de 2020, hoje apresentada publicamente. Na conferência de imprensa hoje realizada, o presidente da câmara, Victor Mendes, destacou que a programação apresentada reflete a preocupação do executivo com a "democratização do acesso cultura, de retorno à normalidade, de incremento da atividade cultural, nomeadamente através de apoios a associações locais, e dos serviços educativos". A "programação comemorativa dos 124 anos do Teatro Diogo Bernardes terá início a 18 de setembro com o concerto de Márcia, no dia 19 será a vez da atuação de João Pedro Pais e, dia 20, o primeiro espetáculo para a infância, juventude e famílias, público pela companhia Opera ISTO, que apresentará duas sessões, à tarde, do espetáculo ‘A Rolha do Rei D'Aonde?’”. O Teatro Diogo Bernardes, de estilo italiano, foi construído em 1893, e inaugurado em 1896, tendo sido remodelado e renovado em 1999. Tem capacidade para acolher 310 espectadores. "Nos próximos meses, vamos investir cerca de 89 mil euros, em 42 espetáculos, o que representa um valor de 2.119 euros por espetáculo. […] Independentemente destes valores, os preços que praticamos são muito baixos, exatamente para permitir que, independentemente, da condição social e económica todos tenham oportunidade de vir ao Teatro Diogo Bernardes", referiu o autarca do CDS, que apelou à "responsabilidade" do público na prevenção da propagação do novo coronavírus. "Conciliar a economia com a saúde pública depende da responsabilidade dos cidadãos. Deste modo podemos ajudar os nossos empresários", disse o autarca. O autarca destacou ainda, em outubro, projetos musicais variados como Noiserv, Brigada Victor Jara, um concerto da Associação Porta Jazz com o projeto de João Martins "100 ms", o fado de Coimbra pela voz de Dario Ribeiro, Samuel Úria e, pela primeira vez, a integração do Teatro Diogo Bernardes no festival nacional Misty Fest, com um concerto inédito em estreia, com dois músicos de referência da nova geração do jazz nacional, João Barradas e Ricardo Toscano. Em dezembro, apontou "o regresso da dança contemporânea com Sinais de Pausa, uma coprodução da companhia Paulo Ribeiro e do teatro Diogo Bernardes". "Amado Monstro, com interpretação de Marcantonio Del Carlo e João Didelet, será a nossa proposta na área do teatro e, na área da música, o concerto de Tiago Bettencourt e o concerto de Natal, na Igreja Matriz de Ponte de Lima, resultado do IV Encontro de Música Medieval de Ponte de Lima Caminho Português de Santiago, que integra a competente residência artística internacional", especificou.
Autor: Redação/Lusa