twitter

Obra de reabilitação de antigo matadouro de Viana do Castelo concluída em 2026

Obra de reabilitação de antigo matadouro de Viana do Castelo concluída em 2026
Fotografia CM Viana do Castelo

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 09 de julho de 2024, às 14:26

A obra de reabilitação do antigo matadouro de Viana do Castelo avança até ao fim do ano e fica concluída até final de 2026, num investimento de 6,2 milhões de euros, revelou hoje a autarquia.

“Até final do ano, a Câmara deverá avançar com o início da obra de reabilitação, que irá ser concluída até final de 2026”, indica o município, em comunicado, a propósito da abertura da sessão de trabalho com parceiros e peritos europeus realizada no âmbito do projeto Viana Starts, que tem a apresentação pública agendada para quarta-feira.

Citado na nota de imprensa, o presidente da autarquia, Luís Nobre, assinala o sonho de “pertencer à rede das 100 cidades europeias mais inteligentes e atingindo a neutralidade carbónica até 2030”, e o facto de o Viana Starts ser “um passo muito importante para atingir este objetivo”.

O projeto Viana Starts foi aprovado no âmbito do programa Iniciativas Urbanas Europeias, tem um total de investimento de 6,2 milhões de euros e é cofinanciado através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) em cerca de 4,9 milhões de euros.

Com a empreitada de reconversão do matadouro municipal, a autarquia vai transformar o edifício “utilizando um conjunto de soluções inovadoras de eficiência energética, baixo teor de carbono e economia circular, com base nos princípios do Novo Bauhaus Europeu”.

O projeto irá criar um “laboratório criativo e comunitário, baseado no espírito da Ciência + Tecnologia + Arte, para que este seja um futuro espaço de criação”, acrescenta a autarquia minhota.

A intenção é “explorar as formas pelas quais as colaborações entre ciência, tecnologia e as artes estão a conduzir a um desenvolvimento mais sustentável em todo o mundo, com um impacto positivo na economia, no meio ambiente e na sociedade”.

De acordo com o município, pretende-se impulsionar “futuras atividades, onde cientistas locais, tecnologias de setores locais chave, artistas, designers, tanto locais como internacionais, podem encontrar-se, trocar sinergias e coproduzir soluções inovadoras, conteúdos criativos de teor científico e artístico”.

O Viana Starts vai incluir espaços multidisciplinares de cocriação e partilha de conhecimento, “assumindo-se como um local de encontro para comunidades locais e internacionais, com o objetivo de promover o processo de criação, reflexão, discussão e exposição de soluções e ideias, a nível científico, artístico e cultural”.

O projeto é cofinanciado pelas Iniciativas Urbanas Europeias, iniciativa da União Europeia que promove projetos-piloto no domínio do desenvolvimento urbano sustentável.

O Viana Starts foi a única candidatura portuguesa selecionada em 2023 pela Iniciativa Urbana Europeia – EUI, assinala a autarquia.

“Viana do Castelo pertence, assim, ao grupo restrito de 14 cidades europeias que serão o exemplo europeu na implementação de ações inovadoras para enfrentar desafios urbanos”, refere.

A Associação Juvenil de Deão, o Itecons - Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico para a Construção, Energia, Ambiente e Sustentabilidade, a Inova+, o Dinamo10 – Creative Hub, a Associação Empresarial do Distrito de Viana do Castelo e o Instituto Politécnico de Viana do Castelo são os parceiros deste projeto liderado pela autarquia.

Um dos objetivos da Iniciativa Urbana Europeia é que os resultados do projeto sejam usados por outras cidades, aumentando o impacto de toda a Iniciativa, através da replicabilidade das soluções inovadoras desenvolvidas pelos projetos.

Assim, o Viana Starts tem como Parceiros de Transferência as cidades de Brescia, em Itália, de Brest, em França, e de Ferrol, em Espanha.

Desativado em 1990, o matadouro foi construído numa zona considerada central, à entrada da Veiga da Areosa, mas ao mesmo tempo fora da cidade, e entrou em funcionamento em 1926, numa localização então próxima à feira, ao mercado e à feira do gado.