twitter

Sindicato denuncia «crescente dificuldade» dos enfermeiros do Hospital de Barcelos

Sindicato denuncia «crescente dificuldade» dos enfermeiros do Hospital de Barcelos
Fotografia DR

Redação

Publicado em 21 de outubro de 2023, às 11:36

Serviços de ortopedia e cirurgia registam a realidade mais complicada

Os enfermeiros do Hospital Santa Maria Maior, em Barcelos, garantem que estão exaustos e sem capacidade para prestar todos os cuidados de saúde que deveriam ser prestados aos doentes. A situação, de acordo com o presidente do Sindicato dos Enfermeiros (SE), Pedro Costa, é sobretudo complexa no Piso 3, de Ortopedia e Cirurgia. «Aumentou o número de camas e diminuiu o de enfermeiros, o que está a obrigar muitos colegas a disponibilizarem tempo de descanso para fazer turnos extra», afirma.

Pedro Costa assegura que a situação, sendo transversal a todo o hospital, «é, sobretudo, complexa no piso de Ortopedia e Cirurgia, que passou das 33 para as 37 camas, tendo o número de enfermeiros diminuído de 37 para 26 profissionais». Em alguns turnos, admite, «em vez dos sete enfermeiros escalados, só quatro ou cinco estão efetivamente ao serviço, muitas vezes porque abdicam de tempo de descanso para fazer turnos extra e, assim, diminuir o risco de ausência de cuidados de saúde pelos doentes».

As principais causas para este caos, explica o presidente do SE, «centram-se na taxa de absentismo por doença, que, sendo similar à do primeiro semestre, não foi tida em conta na segunda metade de 2023». Adicionalmente, «vários enfermeiros aposentaram-se ou foram mobilizados para outras unidades de Saúde, sem que tenham sido substituídos». A escassez de recursos humanos já levou os enfermeiros de Barcelos a adotar medidas preventivas. «Os colegas estão exaustos e não conseguem fazer todo o serviço», assevera Pedro Costa. Por isso, em muitos casos, «ajustam os cuidados de saúde prestados em função do número de enfermeiros escalados, quase como se estivessem a prestar cuidados mínimos em dias de greve».

O presidente do Sindicato do Enfermeiros sublinha que «os enfermeiros já apresentaram soluções à Administração do Hospital de Santa Maria Maior, designadamente a redução temporária do número de camas, mas a proposta foi rejeitada». «Preferem continuar a pedir aos enfermeiros para fazerem mais um esforço, para abdicarem de dias de descanso para fazerem turnos extra», acrescenta. Porém, completa Pedro Costa, «torna-se cada vez mais difícil aceder a este pedido, pois os enfermeiros estão esgotados».

Segundo as explicações transmitidas aos enfermeiros, «a Administração não tem autorização superior, depreendemos que do Ministério das Finanças, para contratar mais enfermeiros». Além disso, «deixou caducar em junho a Bolsa de Recrutamento que existia, e só agora está a lançar concurso para a constituição de uma outra Bolsa, o que demora sempre o seu tempo». O Sindicato dos Enfermeiros tem estado em contacto permanente com os enfermeiros de Barcelos e admite a possibilidade de adotar medidas mais duras. «É inaceitável que a solução para a escassez de recursos humanos seja sempre a disponibilidade dos enfermeiros para fazer mais um turno», resume.