twitter

Guimarães vai receber mais de 65 milhões de euros

Guimarães vai receber mais de 65 milhões de euros
Fotografia Arquivo DM

Redação

Publicado em 12 de outubro de 2023, às 09:08

Câmara de Guimarães passou a ser a autarquia do Minho mais apoiada pelo Orçamento do Estado

A Câmara Municipal de Guimarães é a que vai receber a quantia mais volumosa do Orçamento do Estado para 2024, entre os 24 municípios do Minho. A autarquia vimaranense vai encaixar 65 milhões 153 mil 872 euros – mais de 16 por cento do montante a afetar às 14 câmaras do distrito de Braga –, sendo o quarto maior financiamento do Estado, entre os 308 municípios portugueses. Mais dinheiro do Orçamento do Estado para o próximo ano apenas recebem os municípios de Lisboa (93,4 milhões de euros), de Loures (67,6 milhões) e de Sintra (78,8 milhões de euros).

 O Município do Porto fica atrás da "cidade-berço" por apenas menos alguns euros, recebendo 65 milhões 129 mil 456 euros. A Câmara de Barcelos, que em 2023 encaixou o maior apoio do Orçamento do Estado à região do Minho, recebe este ano 56 milhões 366 mil 202 euros, montante que é o terceiro maior do Minho. Apesar de ir receber o maior volume de apoios da Administração Central, a Câmara Municipal de Guimarães não abdica de qualquer receita de IRS em favor das famílias do concelho. Vai receber sete milhões 755 mil 796 euros por conta dos descontos sobre o trabalho dos trabalhadores residentes no concelho, sendo uma das três câmaras municipais do distrito de Braga que aplica a taxa máxima a que tem direito.

As câmaras de Amares e de Esposende aplicam também a taxa máxima de 5 por cento, enquanto que Barcelos decidiu prescindir em 2024, pela primeira vez, de parte da receita de IRS a que tem direito, indo receber 4,8 por cento de todo o imposto sobre o trabalho cobrado no concelho. Com Terras de Bouro a ter cerca de 11 milhões de euros – o valor mais baixo do distrito –, a proposta de Orçamento do Estado aponta apoios de 49,8 milhões de euros para Famalicão, enquanto que Vila Verde vai receber 27,5 milhões e Fafe cerca de 30 milhões de euros. Para Amares são apontados quase 13 milhões, Cabeceiras recebe 15 milhões e Celorico um pouco mais de 17 milhões de euros.