twitter

Mário Passos executou em 2 anos 81% dos compromissos eleitorais

Mário Passos executou em 2 anos 81% dos compromissos eleitorais
Fotografia DM

Joaquim Martins Fernandes

Jornalista

Publicado em 11 de outubro de 2023, às 10:30

Câmara de Famalicão teve investimento recorde nas freguesias e afirmou-se líder nacional na criação de eco-escolas

O presidente da presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Mário Passos, fez ontem «um balanço muito positivo» aos primeiros dois dos quatro anos de gestão municipal para que foi eleito. O social-democrata que sucedeu a Paulo Cunha garante que «80,6 por cento dos compromissos» assumidos com os famalicenses «estão já executados ou em fase de execução».

Na auto-avaliação divulgada em conferência de imprensa, o social-democrata passou em revista os 535 compromissos que sustentaram a sua candidatura, para destacar que nunca o município investiu tanto nas freguesias. «Nos últimos dois anos, realizamos 10,5 milhões de euros de apoios diretos. Foi o maior de sempre», garantiu o autarca, que no mandato anterior tinha a tutela do Pelouro das Freguesias. Passos não escondeu que a aposta na coesão social justificou o investimento sem paralelo nas autarquias do concelho, para acrescentar que o território famalicense é também agora “mais igual” e “mais integrador”. 

 

Município investiu 16 milhões de euros em políticas sociais

As políticas municipais de promoção da igualdade e da solidariedade motivaram investimentos de 16 milhões de euros, desde que assumiu a gestão municipal. Trata-se de um esforço financeiro que «permitiu concretizar um verdadeiro batalhão de medidas sociais», destacou Mário Passos, que não tem dúvidas que a sua gestão vai chegar  muito além das metas inicialmente traçadas. «Estamos a metade do percurso, mas muito para além do meio do programa [de governação], que será cumprido e largamente ultrapassado», vincou, para apontar a Proteção Civil como uma das áreas em que Famalicão surge numa posição de destaque, entre os 308 municípios portugueses. Os números revelados pelo presidente da Câmara Municipal fizeram saber que, nos dois últimos anos, os cofres municipais financiaram as três corporações de bombeiros voluntários locais com 1,5 milhões de euros. «Temos nove Equipas de Intervenção Permanente e somos um dos concelhos do país com mais Equipas de Intervenção Permanente», resumiu.