twitter

Esposende investe um milhão em requalificação rodoviária

Esposende investe um milhão em requalificação rodoviária
Fotografia DR

Redação

Publicado em 02 de outubro de 2023, às 09:56

Melhoria da Estrada Municipal 545 era reclamada há vários anos

A Câmara Municipal de Esposende vai investir cerca de um milhão de euros na primeira fase da requalificação da Estrada Municipal que liga as freguesias de Antas e Forjães.  «O Município de Esposende vai avançar com a 1.ª fase da requalificação e alargamento da Estrada Municipal (EM) 546, que liga as freguesias de Antas e Forjães, num investimento muito próximo de um milhão de euros», revelou a autarquia, em comunicado enviado ao Diário do Minho.

O documento acrescenta que, nesse sentido, «a autarquia acaba de lançar o concurso público da empreitada, com o valor base de 983 mil 807 euros e um prazo de execução de um ano» e que «nesta primeira fase vai ser intervencionado o troço compreendido entre a rotunda da igreja de Antas e o limite da freguesia de Forjães, numa extensão de 1400 metros». «Face ao volume de investimento, o Município optou por executar o projeto de requalificação em duas fases. Nesta primeira fase, proceder-se-á ao alargamento da via, criando uma faixa de rodagem com 6 metros e largura de passeios de 1,60 metros, e serão executados os respetivos muros de suporte/vedação.

Destaca a nota de imprensa que a intervenção «reveste-se da maior relevância» dado que «a Estrada Municipal 546 regista um elevado fluxo de trânsito, impondo-se a necessidade de melhorar as condições de segurança e de circulação rodoviária e pedonal». «Esta obra constituiu um anseio antigo das populações das duas freguesias e encontra-se há muito sinalizada como uma intervenção prioritária, tanto pela Câmara Municipal como pelas Juntas de Freguesia de Antas e de Forjães», sublinha. Citado no documento, o presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, refere que «apesar de prevista há muito, a intervenção de requalificação e alargamento da EM 546 só agora será possível, uma vez a mesma não tem qualquer apoio de fundos comunitários». «Trata-se de um investimento muito significativo, razão pela qual tivemos de optar por realizar a obra faseadamente», refere, evidenciando a «enorme melhoria que resultará da intervenção».