twitter

Campanha "Taxa Zero ao Volante" arranca amanhã

Campanha "Taxa Zero ao Volante" arranca amanhã
Fotografia

Publicado em 02 de março de 2022, às 10:31

Alertar para os riscos da condução sob a influência do álcool é o objetivo desta ação que decorre até segunda-feira.

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a GNR e a PSP lançam na quinta-feira a Campanha de Segurança Rodoviária “Taxa Zero ao volante” que visa alertar para os riscos da condução sob a influência do álcool. A campanha “Taxa Zero ao Volante”, que se prolonga até segunda-feira, inclui ações de sensibilização da ANSR e operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, “com especial incidência em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário”, referem as autoridades, num comunicado conjunto. As ações de sensibilização decorrem em conjunto com as operações de fiscalização programadas para a Rotunda de Atrozela, Alcabideche, em Cascais (dia 03), na Rotunda da EN114 e Rua dos Pocinhos, em Peniche, Leiria, (dia 04) e Rotunda da AE10/EN118, em Benavente, Santarém, (dia 07). Na nota, aquelas entidades lembram que “um em cada três condutores mortos em acidentes de viação apresenta uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e três em cada quatro destes condutores apresentam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l. A ANSR, a GNR e a PSP citam vários estudos científicos que demonstram que conduzir sob a influência do álcool causa várias perturbações, designadamente, ao nível cognitivo e do processamento de informação, bem como alterações na capacidade de reagir aos imprevistos, e descoordenação motora. Alertam igualmente que o “álcool também diminui o campo visual, provocando a chamada visão em túnel. Esta perda de capacidades, bem como as alterações de comportamento que podem levar a estados de euforia e desinibição, aumentam de forma muito significativa o risco de envolvimento em acidentes rodoviários”. “A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada”, recordam.
Autor: Redação/Lusa