twitter

OE2024: Medina garante investimento em preocupações centrais dos portugueses

OE2024: Medina garante investimento em preocupações centrais dos portugueses
Fotografia José Sena Goulão/Lusa

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 10 de outubro de 2023, às 16:49

Medina fala em aumentos do investimento nas áreas da saúde, habitação, educação e ciência e ensino superior.

O ministro das Finanças, Fernando Medina, garantiu esta terça-feira que o Governo irá no próximo ano aumentar o investimento nas áreas da saúde, habitação, educação e ciência e ensino superior, que considerou serem preocupações dos portugueses. Fernando Medina falava esta tarde na conferência de imprensa de apresentação da proposta orçamental para 2024, no Ministério das Finanças, em Lisboa.

“Nesta área de investimento, destaco o investimento dirigido ao que são as preocupações centrais dos portugueses: saúde, habitação, edução e ciência e ensino superior”, afirmou. Segundo o governante estas são “áreas com um reforço particularmente significativo no OE2024”.

De acordo com a apresentação que acompanha o discurso do ministro das Finanças, a Saúde irá ter um reforço de 1.209 milhões de euros, a habitação de 336 milhões de euros, a educação de 297 milhões de euros e a ciência e ensino superior de 182 milhões de euros. O ministro exemplificou que a área da saúde terá, assim, no OE2024 um reforço de 10% das verbas que lhe são transferidas através do Orçamento, o que significa um “aumento de 72% face ao ano de 2015” e “também um aumento face aos valores pós-pandemia em 2021”.

Fernando Medina deixou ainda garantias de aumentos do investimento público. “Em 2024, voltaremos a bater recorde relativamente à sua execução. Estamos a falar de verbas disponíveis de 9,2 mil milhões de euros em investimento de iniciativa pública, seja financiado por fundos comunitários e sobretudo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)”, disse.

O Governo entregou esta terça-feira na Assembleia da República a proposta de OE2024, que será discutida e votada na generalidade nos dias 30 e 31 de outubro, estando a votação final global agendada para 29 de novembro.