twitter

Sete locais ultrapassaram máximos históricos de temperatura a 22 de agosto

Sete locais ultrapassaram máximos históricos de temperatura a 22 de agosto
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 25 de agosto de 2023, às 09:22

O dia 22 foi o quinto mais quente dos últimos 15 anos em Portugal continental.

Os dias 22 e 23 de agosto foram, respetivamente, o quinto e sexto mais quentes dos últimos 15 anos em Portugal continental. Houve sete estações a ultrapassarem máximos históricos de temperatura, foi divulgado esta quinta-feira.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), os dias 22 e 23 de agosto foram, respetivamente, o quinto e sexto mais quentes dos últimos 15 anos em Portugal continental, com valores médios da temperatura média de 29.35°C e 28.76°C. Estes dois dias ficaram apenas atrás de quatro dias, entre 2 e 5 de agosto de 2018, em que se “verificaram condições meteorológicas semelhantes às atuais, mas durante um intervalo temporal maior”, sublinhou o IPMA em comunicado. “Os dias 22 e 23 de agosto de 2023 apresentaram ainda o 5.º e 10.º maior valor médio da temperatura máxima, e o 8.º e 11.º maior valor médio da temperatura mínima, respetivamente”, explicou ainda.

No passado dia 22, em 20 estações foram ultrapassados os anteriores maiores valores da temperatura máxima para o mês de agosto: Pinhão (45,6°C), Tomar/Vale Donas (45,4°C), Lousã (45,2°C), Mirandela (43,8°C), Cabeceiras de Basto (43,5°C), Ansião (43,4°C), Nelas (42,8°C), Moimenta da Beira (42,5°C), Chaves/Aérodromo (42,4°C), Macedo Cavaleiros (41,5°C), Viseu/Aérodromo (41,1°C), Vila Real/Aérodromo (40,8°C), Miranda do Douro (40,8°C), Carrazeda (40,7°C), Bragança (40,6°C), Trancoso/Bandarra (40,1°C), Mogadouro (40°C), Vinhais (39,9°C), Luzim (39,8°C) e Montalegre (37,5°C).

O IPMA destacou como mais representativos os valores de 37.5°C em Montalegre e de 42.8°C em Nelas, estações com séries de 82 e 62 anos, respetivamente. Em sete destas estações – Tomar/Vale Donas, Cabeceiras de Basto, Nelas, Viseu/Aérodromo, Trancoso/Bragança, Luzim e Montalegre - “foram excedidos os anteriores extremos absolutos”.

Na Guarda, no dia 22, o valor de 25.9°C de temperatura mínima, ultrapassou o anterior extremo para o mês de agosto. Já no dia 23, foram ainda ultrapassados máximos para o mês de agosto da temperatura mínima em quatro estações: Viseu CC (26,9°C), Vila Real CC (25,6°C), Vinhais (25,5°C) e Lamas de Mouro (19,7°C).

O calor extremo “deveu-se à influência de uma massa de ar quente e seco com origem no norte de África, transportada na circulação resultante de um anticiclone localizado sobre o Golfo da Biscaia e de um vale depressionário centrado no sul da Península Ibérica, sendo reforçada por uma crista anticiclónica em altitude sobre a Península Ibérica e pela situação de seca que o território do Continente tem vindo a atravessar”, referiu a mesma fonte. Entre os valores mais elevados de temperatura máxima, em 22 de agosto Alvega (Abrantes, Santarém) e Pinhão (Alijó, Vila Real), destacaram-se com 45.6°C, enquanto no dia 23, Alvega atingiu 45.0°C e Pinhão 44.8°C.

No dia 22, registou-se em 50% do território valores de temperatura máxima do ar iguais ou superiores a 40°C e em 15% do território estiveram temperaturas acima de 42°C, detalhou o IPMA. Valores de temperatura máxima do ar iguais ou superiores a 35°C ocorreram em cerca de 80 % do território, enquanto temperaturas iguais ou superiores a 30°C ocorreram “em praticamente todo o território”, com exceção de Cabo Carvoeiro, S. Pedro Muel, Santa Cruz, Cabo da Roca e Cabo Raso. No dia seguinte, registou-se em 40% do território valores de temperatura máxima do ar iguais ou superiores a 40°C, sendo que em 6% do território registaram-se temperaturas acima de 42°C.