twitter

Europeias: Eleitores podem votar em qualquer lado e saber se há filas

Europeias: Eleitores podem votar em qualquer lado e saber se há filas
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 25 de maio de 2024, às 10:02

Segundo a Comissão Nacional de Eleições

Os eleitores vão poder votar nas europeias onde quer que estejam no dia 09 de junho e até saber se há filas nas mesas onde pretendem exercer o seu direito de voto.

À Lusa, o porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Fernando Anastácio, explicou que os eleitores vão poder saber ‘on-line´ e “ao momento” se há filas para votar no dia 09 de junho.

É “mais um instrumento para combater a abstenção”, tentando motivar os eleitores a votar numa eleição com abstenções históricas e que este ano acontece na véspera do feriado do Dia de Portugal e período de miniférias, disse.

No dia das eleições, estará disponível “‘online’, ao momento, a afluência às diferentes mesas de voto” e permitirá “um cidadão poder verificar, na zona onde está, quais são as mesas que têm menos afluência e, portanto, evitar precisamente as aglomerações”, explicou.

Portugal registou, nas europeias de 2019, a pior taxa de abstenção (68,6%) desde que pertence à União Europeia, em contraciclo com a participação na Europa - cerca de 50%.

Para tentar inverter essa tendência - além do voto antecipado de doentes, presos e no estrangeiro, ou do voto em mobilidade, no domingo anterior (02 de junho) - este ano há uma nova modalidade, só possível por existirem “cadernos eleitorais desmaterializados”.

Qualquer eleitor recenseado em Portugal pode votar “sem ser no local onde está recenseado”, explicou.

“Pode optar sem qualquer condicionalismo de pré-inscrição, por exemplo, vive em Lisboa, está recenseado em Lisboa, mas no dia 09 está no Porto, pode optar por ir a uma mesa de voto qualquer no Porto: apresentar-se na mesa de voto, identificar-se com o seu cartão de cidadão ou com um documento que seja considerado válido para efeitos de identificação e exercer o seu direito de voto”, disse.

As eleições foram marcadas a nível europeu para o período de 06 e 09 de junho.

E esse é, segundo o porta-voz da CNE, “um período particularmente difícil para Portugal”, por coincidirem com “uma semana que habitualmente é um período de miniférias.