twitter

Zelensky cancela viagem a Portugal face à ofensiva russa em Kharkiv

Zelensky cancela viagem a Portugal face à ofensiva russa em Kharkiv
Fotografia DR

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 15 de maio de 2024, às 11:49

Presidente ucraniano iria também a Madrid

O Presidente ucraniano cancelou todas as viagens ao estrangeiro “nos próximos dias”, anunciou hoje o porta-voz da presidência, numa altura em que a Ucrânia enfrenta uma nova ofensiva russa na região de Kharkiv.

“Volodymyr Zelensky solicitou o adiamento de todos os eventos internacionais programados para os próximos dias e a fixação de novas datas”, afirmou Serguei Nykyforov nas redes sociais, sem indicar as viagens canceladas, segundo a agência francesa AFP.

As autoridades espanholas tinham anunciado anteriormente uma visita de Zelensky a Madrid e o Governo português disse que também estava em preparação uma deslocação a Lisboa.

A Rússia lançou na sexta-feira uma ofensiva surpresa contra a região de Kharkiv, cuja capital, com o mesmo nome e a segunda maior cidade da Ucrânia, está localizada perto da fronteira entre os dois países.

A presidência ucraniana anunciou hoje o envio de reforços para a região de Kharkiv, depois de uma parte das forças ter sido retirada de algumas posições devido aos avanços significativos das tropas russas.

“Foram enviadas forças adicionais e estão disponíveis reservas”, anunciou o porta-voz Zelensky, após uma reunião entre o Presidente ucraniano e o comandante-chefe das forças ucranianas, Oleksandre Syrsky, citado pela AFP.

Os confrontos mais ativos estavam a ocorrer em Lukianti e Vovchansk, a norte de Kharkiv, onde as tropas russas conseguiram penetrar na semana passada pela primeira vez desde o início da invasão, no final de fevereiro de 2022.

Os avanços russos na região levaram à deslocação de mais de 7.500 pessoas nos últimos dias, incluindo mais de 560 crianças.

Zelensky pediu na terça-feira aos Estados Unidos o envio de dois sistemas de mísseis “Patriot” para defender Kharkiv durante uma reunião em Kiev com o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.