twitter

Pimenta ambiciona ser o primeiro português a conquistar três medalhas em Jogos Olímpicos

Pimenta ambiciona ser o primeiro português a conquistar três medalhas em Jogos Olímpicos
Fotografia Instagram / Fernando Pimenta

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 09 de julho de 2024, às 10:31

Canoísta de Ponte de Lima quer dar espetáculo e alegria aos portugueses

O canoísta Fernando Pimenta, natural de Ponte de Lima, quer dar espetáculo e desfrutar da sua prova em Paris2024, mas também tentar dar uma alegria aos portugueses, admitindo que lhe passa pela cabeça ser o primeiro luso a conquistar três medalhas em Jogos Olímpicos.

Em entrevista à agência Lusa, durante um estágio em Avis (Portalegre), Pimenta admite que a prata em K2 1000 metros em Londres2012 e o bronze em K1 1.000 em Tóquio2020 já o colocam “num patamar distinto em Portugal, pois “são apenas cinco atletas que conseguem ter mais do que uma medalha em Jogos Olímpicos”.

“O objetivo sincero é tentar desfrutar ao máximo da competição, dar o meu melhor e sair de lá com a consciência tranquila de que dei o meu melhor, dar um grande espetáculo e, se possível, uma alegria aos portugueses”, assumiu.

Contudo, o limiano, de 34 anos, afirma que lhe “passa pela cabeça” poder ser o primeiro campeão olímpico português fora do atletismo e o primeiro a vencer três medalhas olímpicas, porque tem “a consciência de que isso é possível”, mas alerta que “o K1 1.000 metros vai ser provavelmente uma das provas mais competitivas dos últimos anos”, com vários candidatos.

Com cerca de centena e meia de medalhas internacionais conquistadas, entre as quais de Mundiais, Europeus e Jogos Olímpicos, Fernando Pimenta defende que já não tem “nada para provar”.

“Basicamente, em praticamente todas as embarcações ou competições que eu entro, tenho tido excelentes resultados, fruto também do trabalho que tenho feito com o meu treinador e com os meus colegas, não só de Portugal, mas também estrangeiros. Sem dúvida que isso faz com que não tenha de provar nada a ninguém”, reforçou.

Com tão bons resultados, Pimenta diz que não é um ‘alvo’, “mas um dos atletas em foco”, em especial nas provas de 5.000 metros, em que os outros canoístas tentam aproveitar a sua onda, “para descansar e estar bem colocado”.

“Em relação aos 1.000 metros, também acho que é normal por causa do currículo que nós temos vindo a atingir, os resultados, mas nunca é um alvo, acho que prefiro chamar uma referência e claro que, quando temos referências, é para serem batidas ou para serem alcançadas”, notou.

Ao contrário de outros atletas, que preferem estagiar antes dos Jogos Olímpicos, Fernando Pimenta tem feito a sua preparação a competir, como nos recentes Europeus, nos quais conquistou três medalhas (ouro no K1 5.000 metros, prata no K1 500 e bronze no K1 1.000).

“É uma forma diferente de treinar, é uma forma diferente de nos conseguirmos adaptar e ir ganhando ritmo competitivo. É por isso que nós vamos fazendo bastantes provas, bastantes competições, mesmo fora da nossa especialidade, que é os 1.000 metros, ou da especialidade que é dos Jogos Olímpicos. [...] É aquilo que nós temos feito nos últimos anos, em anos também de Jogos Olímpicos, e as coisas têm-nos saído bastante bem, por isso, como se costuma dizer, em equipa que ganha ou em estratégia que ganha não se mexe”, afirmou.

As provas de canoagem vão realizar-se no Estádio Náutico de Vaires-sur-Marne, a cerca de 40 quilómetros de Paris, um campo de regatas que a seleção portuguesa já experimentou e agradou a Fernando Pimenta.

“Sinceramente, gostei bastante da pista, gostei do plano de água, gostei da atmosfera. Acho que vai ser brutal, vai ser fantástico competir em Paris e, de certeza, que vamos contar com muitos portugueses lá”, garantiu.

Os Jogos Olímpicos Paris2024 disputam-se de 26 de julho a 11 de agosto, com as eliminatórias e os quartos de final de K1 1.000 metros a acontecerem em 07 de agosto, e as semifinais e final três dias depois.