twitter

Euro2024: Portugal pode somar pela primeira vez oito triunfos seguidos a 'doer'

Euro2024: Portugal pode somar pela primeira vez oito triunfos seguidos a 'doer'
Fotografia FPF

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 14 de outubro de 2023, às 11:37

O selecionador Roberto Martínez está perto de novo recorde absoluto.

Portugal pode segunda-feira, na Bósnia-Herzegovina, na fase de apuramento para o Euro2024 de futebol, alcançar o número histórico de oito triunfos consecutivos em jogos oficiais, com o selecionador Roberto Martínez perto de novo recorde absoluto.

Após as inéditas seis vitórias seguidas num arranque de uma fase de apuramento para uma grande competição, o técnico espanhol, com um triunfo luso em Zenica, na oitava jornada do Grupo J, tira do ‘trono’ Fernando Santos e passa a ter o ‘título’ de selecionador que mais vezes consecutivas levou Portugal às vitórias em encontros oficiais.

Nos sete primeiros encontros sob o comando de Martínez, todos na qualificação para o Europeu da Alemanha, Portugal soma igual número de triunfos aos que Fernando Santos conseguiu na corrida ao Europeu de 2016, que viria a conquistar. Após um inesperado desaire caseiro com a Albânia (0-1, em Aveiro), no início da caminhada rumo ao Euro2016, Paulo Bento cedeu o lugar a Santos, que venceu os sete restantes encontros de qualificação, todos pela margem mínima.

A formação das ‘quinas’ começou por vencer na Dinamarca (1-0) e, depois, ganhou em casa à Arménia (1-0) e à Sérvia (2-1), foi triunfar a Erevan (2-1), ‘vingou-se’ da Albânia (1-0), em Elbasan e, na penúltima ronda, selou o apuramento com um triunfo caseiro face aos dinamarqueses (1-0), em Braga. O então ímpar sétimo triunfo consecutivo em jogos oficiais foi conseguido em 11 de outubro de 2015, em Belgrado, com um triunfo por 2-1 face à Sérvia, selado com tentos de Nani e João Moutinho.

Depois, Portugal não conseguiu somar a oitava vitória de ‘rajada’, ao estrear-se na fase final do Euro2016 com um empate a um golo diante da Islândia (1-1) – a campanha seria quase toda aos ‘trambolhões’, mas acabou com o título europeu. A seleção lusa já tinha, porém, ‘apagado’ do seu livro de recordes os seis triunfos consecutivos conseguidos entre 2005 e 2006, dois a fechar a qualificação (2-1 ao Liechtenstein, que selou o apuramento, e 3-0 à Letónia) para o Mundial2006 e quatro já em plena fase final, na Alemanha.

Na prova disputada em solo germânico, o ‘onze’ então comandado pelo brasileiro Luiz Felipe Scolari fez o pleno de triunfos na fase de grupos, face a Angola (1-0), Irão (2-0) e México (2-1), e, depois, ainda bateu os Países Baixos (1-0), com um tento de Maniche, na ‘batalha de Nuremberga’. A série acabou no jogo seguinte, com um empate a zero com a Inglaterra, após prolongamento, ainda que ‘transformado’ em triunfo por Portugal no desempate por grandes penalidades (3-1), muito graças ao guarda-redes Ricardo.

Desta vez, perante o atual 48.º do ranking mundial (Eslováquia), o 63.º (Bósnia-Herzegovina), o 67.º (Islândia), o 85.º (Luxemburgo) e o 199.º (Liechtenstein), Portugal já vai em sete vitórias consecutivas na qualificação para o Euro2024. A seleção lusa começou com goleadas ao Liechtenstein (4-0) e no Luxemburgo (6-0), prosseguiu com um 3-0 à Bósnia-Herzegovina e continuou com duas vitórias tangenciais, na Islândia (1-0) e na Eslováquia (1-0).

O sexto triunfo foi um inédito 9-0 ao Luxemburgo, que superou o recorde luso, os três 8-0 (dois ao Liechtenstein e um ao Kuwait), e, na sexta-feira, a formação lusa somou o sétimo na receção à Eslováquia, com um tento de Gonçalo Ramos e dois de Cristiano Ronaldo (o primeiro de penálti).