twitter

Dolores Silva garante que Portugal "tem os pés assentes na terra"

Dolores Silva garante que Portugal "tem os pés assentes na terra"
Fotografia FPF

Agência Lusa

Agência noticiosa

Publicado em 19 de setembro de 2023, às 12:07

A capitão da seleção feminina de futebol diz que o grupo está entusiasmado depois do que conseguiu no Mundial.

A capitão da seleção feminina de futebol de Portugal, Dolores Silva, diz que o grupo está entusiasmado depois do que conseguiu no Mundial de Futebol. No entanto, garante que não há deslumbramentos.

Sobre as ambições da equipa em vésperas da estreia em mais uma competição, a Liga das Nações, Dolores não hesita e afirma que ainda há história para se escrever no futebol feminino. “Estamos com os pés assentes na terra, conscientes das nossas potencialidades e que temos muito para melhorar. Temos vindo a conquistar coisas bonitas e é por aí que queremos continuar. O nosso foco é trabalhar para as gerações futuras e vamos entrar para dar o nosso melhor e conquistar três pontos a cada jogo”, garantiu a jogadora do Sporting de Braga.

A portuguesa garante que a motivação no grupo se mantém elevada, mesmo depois do pico com o Mundial de futebol.

“Estamos muito felizes por poder estar presentes em mais uma convocatória, numa competição diferente e em que vamos participar também pela primeira vez. Estamos muito motivadas pelo que temos vindo a fazer, pelo Mundial e pela nossa participação, e estamos focadas nesta nova competição”, disse aos jornalistas.

Sobre a responsabilidade de vestir a camisola das ‘quinas’ depois da prestação na prova que decorreu na Austrália e Nova Zelândia, a jogadora portuguesa garante que nada mudou.

“A responsabilidade de representar Portugal é sempre grande e é de altíssima exigência. Foi um momento para a história do futebol em Portugal. A forma como nos apresentámos foi muito importante para as aspirações de continuar a evoluir o futebol feminino, mas agora temos de dar continuidade e continuar a elevar o nome de Portugal e o nosso futebol”, sublinhou.

Em relação à França, primeira adversária de Portugal no Grupo 2 da Liga das Nações, Dolores lembrou que “é uma equipa muito poderosa, que esteve bem no Mundial”, mas frisou que as jogadoras lusas continuam ansiosas por “jogar contra as melhores”.

O grupo de convocadas do selecionador português, Francisco Neto, apresenta algumas ‘caras novas’ e Dolores Silva considera que é um processo natural, garantindo que todas as jogadoras serão bem recebidas.

“As escolhas são do professor Francisco. A nós, mais velhas, cabe-nos tentar fazer com que toda a gente que aqui passa se sinta bem e se possa sentir integrado para estar a 100 por cento para representar Portugal”, concluiu.

Portugal está inserido no Grupo 2 da Liga A e na sexta-feira defronta a França, no Stade du Hainaut, na cidade de Valenciennes. Quatro dias depois, a equipa das ‘quinas’ recebe a Noruega, no Estádio Cidade de Barcelos.

Estes serão os primeiros encontros da seleção nacional após a primeira participação num Campeonato do Mundo, na Austrália e na Nova Zelândia, onde Portugal foi afastado na fase de grupos.

A formação das ‘quinas’ entrou com um desaire por 1-0 face aos Países Baixos, depois venceu o Vietname por 2-0 e, a fechar, empatou a zero com os Estados Unidos, num jogo em que, sobre o final, Ana Capeta atirou uma bola ao ‘ferro’ - o triunfo valeria a Portugal um lugar nos oitavos de final.