twitter

Sapadores de Braga eliminaram 624 ninhos de vespa asiática em 2022

Sapadores de Braga eliminaram 624 ninhos de vespa asiática em 2022
Fotografia

Publicado em 01 de fevereiro de 2023, às 11:13

Outros sete encontram-se por neutralizar, devido aos difíceis acessos dos mesmos.

Os Bombeiros Sapadores de Braga eliminaram 624 ninhos de Vespa Asiática (Velutina) em 2022, estando outros sete por neutralizar, devido aos difíceis acessos dos mesmos. A informação é avançada pela Câmara Municipal de Braga. Em comunicado, a autarquia adianta que, «com recurso aos Bombeiros Sapadores, tem procedido à eliminação de ninhos de Vespa Asiática (Velutina) conforme as directrizes do Plano de Acção a nível nacional». «Durante o ano de 2022, procedeu-se a desactivação de 624 ninhos de vespa velutina, estando sete por neutralizar devido aos difíceis acessos dos mesmos. No registo, fica uma taxa de execução de 98.87%, o maior valor alcançado desde o início desta intervenção por parte dos Bombeiros Sapadores», acrescenta o comunicado. No global, foram empenhados para a operação 1 248 operacionais, sendo que as ações de controlo da espécie invasora traduziram-se em mais de mil horas de actuação e foram percorridos 11 856 km dentro do concelho. Ainda no último ano, e no âmbito do Plano Estratégico de detecção e controlo da Vespa Velutina na NUTS III do Cávado, o município de Braga recebeu 225 armadilhas e 1 350 unidades de atrativo com isco alimentar, para apoiar no combate à propagação da vespa. «A implementação desta metodologia de combate, adstrita ao serviço do Gabinete Técnico Florestal da Protecção Civil Municipal de Braga e em articulação com a Associação de Apicultores do Cavado e Ave, distribuí as armadilhas em locais estratégicos do Concelho, permitindo também a captura sem recurso a meios e logística pesada», explica a Câmara. A Vespa velutina é uma espécie não-indígena, predadora da abelha europeia e sua introdução involuntária na Europa ocorreu em 2004 pelo território francês, tendo a sua presença sido confirmada em Espanha em 2010, em Portugal e Bélgica em 2011 e em Itália em finais de 2012. Esta espécie distingue-se da espécie europeia pela coloração do abdómen (mais escuro na vespa asiática) e das patas (cor amarela na vespa asiática). Os principais efeitos da presença desta espécie não indígena manifestam-se em várias vertentes, sendo de realçar na apicultura, pois trata-se de uma espécie carnívora e predadora de abelhas e riscos para a saúde pública na medida que ao se sentirem ameaçadas reagem de modo bastante agressivo, incluindo perseguições até algumas centenas de metros. A Câmara de Braga refere que, para comunicar a deteção ou suspeita da existência de ninho de Vespa velutina, está disponível o endereço electrónico [email protected].
Autor: Diana Carvalho